terça-feira, 15 de outubro de 2013

Barraco não é chique

Passei muito tempo me perguntando: Aonde ir a fim de conhecer bons partidos? Tentei listar uma série de lugares em potencial e não finalizei com lugar algum. Posteriormente cheguei à conclusão de que um bom partido pode estar em qualquer ambiente.
Clarooo, que as chances de se conhecer um homem maravilhoso em uma favela são infinitamente inferiores que em um museu.Para se engatar um affair de sucesso basta está no lugar certo, na hora certa.
Caminhar pela cidade pode ser o caminho, afinal, nunca sabemos quem poderemos encontrar enquanto olhamos uma vitrine ou assistimos uma peça de teatro. Frequentar museus, ir a shows, sair para dançar, também são boas opções, desde que estejamos “abertas” para aproximações. Conversar com quem estiver ao lado. Aquela senhora idosa no supermercado pode ter um filho perfeito para nós.
Hoje tentei sair, quem sabe não o conheceria? Mas não deu nada certo! Brigas e discussões na minha casa foram motivos suficientes para me desanimar completamente. Amo a todos, mas tenho familiares difíceis de lidar, onde a harmonia do lar não é prioridade. Para combater tanta turbulência só oro.
Moro em apartamento e acreditam que hoje um familiar abriu a porta da sala para dar escândalo no corredor? Que vergonha! Barraco não é chique! Sabendo disso tenham certeza que assim que conhecer meu bom partido passarei um bom tempo de traze-lo em minha residência.
Então: depois disso tudo não achei mais clima para sair para lugar algum. Pois ao sair não devemos nunca esconder nosso charme, alguém pode estar de olho sem que nos dê conta. E com esse clima, esse baixo astral, essa aura carregada, não conseguiria ser charmosa nunca. Nessas horas, o melhor a fazer é NADA! 


terça-feira, 8 de outubro de 2013

Olheiras é coisa de pobre

Outra dica importante que aprendi com o livro “Madame Charme”: e observar de todos os ângulos. Fiz esse exercício há 02 semanas, mas com uma abordagem diferente, com um toque só meu.
No livro a autora ensina a nos olharmos no espelho, de todos os ângulos antes de sair de casa, para detectarmos pequenos defeitos no visual, eu me observei de uma outra forma: nua. Isso mesmo: nua, pelada. Me observei durante alguns minutos, fui detalhista e tentei identificar defeitos em meu corpo que não estavam de acordo com os padrões das mulheres ricas. Atenção: falei RICAS e não LINDAS. Sabe aquele ditado:  “Ela não era feia, era pobre?”. Pois é isso...para muitos casos o dinheiro ajuda mais do que morrer de nascer de novo.
Antes de me observar nua no espelho, tentei pensar em uma atriz bonita, rica e elegante e que já tenha posado para revistas masculinas. Escolhi a Flávia Alessandra e procurei no Google as fotos do ensaio nu dela. Encontrei e observei tudo. Todos os detalhes: pele, cabelo, expressão e até o modo de como depila a vagina. Claroooo que nesses ensaios sempre rola um fotoshop, mas tentei me comparar a ela e pensar no que está faltando em mim para chegar ao mais próximo possível.
Para minha surpresa descobri que mesmo com fotos tratadas em estúdios, a Flávia Alessandra não é nenhuma Deusa da beleza sem defeito algum...
Posteriormente, relacionei alguns defeitinhos em mim e o que mais me incomodou foram as olheiras. Eu sabia que elas existiam, mas nunca me observei tão criteriosamente, então não tinha noção do quanto elas “queimavam” minha imagem. Sabem porque? Simplesmente por que compreendi que caras ricos e bem sucedidos casam com mulheres com celulite, barriga e culote, mas dificilmente casam com uma mulher com olheiras fundas, com cara de cansada, parecendo uma retirante.
Já usei muita coisa para as olheiras, mas mesmo assim não desanimei e pesquisei bastante métodos eficazes para combate-las.
Encontrei muito artigo bacana sobre o L'ORÉAL REVITA LIFT ROLL ON ANTI-OLHEIRAS e resolvi tentar, afinal olheira é coisa de pobre. Comprei o “bichinho” e estou usando tem uma semana. Percebi sim, que exatamente a região ao redor dos olhos, estão mais claras. Já gostei e vou continuar usando.
Não basta só ter hábitos de rica, preciso também adquirir cara de gente rica. Não darei um prazo para isso acontecer, mas estou no caminho certo. Ahhh, perdão pela qualidade da foto.  



terça-feira, 1 de outubro de 2013

SEMPRE ESTEJA APRESENTÁVEL

Adoro ler! E como já comentei em um post anterior estou lendo Madame Charme – de Jennifer L.Scott ( ok, já era para ter acabado, mas infelizmente ainda não conseguir ). Este livro é, digamos: sensacional e está me auxiliando a montar todas as minhas estratégias de “caça”.
No capítulo 08 a autora aborda o tema “Apresentação Pessoal” e destaca a ideia de estar sempre bonita, em qualquer lugar, a qualquer hora e evitar dizer a si mesma que vai “apenas no mercado da esquina” ( ou a outro lugar qualquer ) como uma desculpa para parecer um lixo. Podemos achar que não vamos encontrar ninguém conhecido, mas pode ter certeza, veremos. 
O assunto pode parecer bobo, mas quantas vezes fazemos isso? Todas já estivemos em uma situação de estar em público com uma aparência bem mais ou menos e de repente cruzamos com alguém importante em nossas vidas. 
Isso aconteceu comigo recentemente: estava eu em um belo dia de folga, percebi que estava sem manteiga...Nem penteei ou cabelos, prendi com um coque, vesti um moletom velho por cima da camisola, calcei os chinelos e fui “rapidinho” na padaria da esquina. O objetivo era ser rápida e ao voltar, tiraria o moletom e continuaria de camisola. Pois acreditam que nessa saidinha eu me encontro com uma vizinha de um ex meu, que não via a mais de 10 anos e que acompanhou muito sofrimento meu? E a tal vizinha ainda fez questão de parar para conversar. Senti tanta raiva de mim pela impressão que passei a ela, dez anos depois: de não ter evoluído, de esta pior, feia e relaxada. 
Depois desse dia tenho procurado dar o meu melhor e estar sempre apresentável, mesmo que não veja ninguém conhecido, devemos querer parecer bem para nós mesmas, afinal nunca se sabe quando iremos esbarrar com alguém importante.
Pensando nisso estou procurando me maquiar diariamente. Nada muito forte, algo bem sutil: um visual cara lavada, que corresponde a uma base leve para uniformizar a pele e esconder as imperfeições, pó compacto, lápis, rímel e batom. Isso já é suficiente para deixar qualquer mulher com um aperfeiçoamento bonito, profissional e completamente natural. Traduzindo: boa aparência.
Sempre fui adepta ao pó compacto, mas acreditam que até 15 dias atrás eu nunca tinha usado uma base? Já viram mulher chique que nunca teve uma base na vida? Gente...fico pensando: “em que planeta eu morava” ? Para resolver o problema comprei logo duas!
Pesquisei em vários blogs com dicas de makes e analisei o custo-benefício de várias marcas nacionais e importadas. Para começar (afinal estou só começando minha transformação) optei por duas marcas nacionais: Quem Disse Berenice e Ares. Para realçar os benefícios de minhas bases comprei também um corretivo. Resumindo: agora só saio de casa maquiada!
Vejam abaixo a foto de minhas mais novas aquisições. O que acharam? Conhecem essas marcas? Recomendam? 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

QUANTO VALE MINHA VAGINA

Pensem comigo:
  • CONSULTA SEMESTRAL GINECOLISTA – R$ 150,00 ( CADA )
  • POMADA GINECOLÓGICA – R$ 35,00
  • DEPILAÇÃO NA VIRÍLIA – R$ 10,00 ( SEMANAL )
  • SABONETE INTÍMO – R$ 10,00
  • SABÃO ESPECÍFICO PARA CALCINHA – R$ 5,00
  • CALCINHA – R$ 10,00 A R$ 20,00 ( CADA )
  • ABSORVENTE – R$ 5,00 O PACOTE – SENDO DOIS PACOTES NO MÊS GASTA-SE R$ 10,00 MENSAIS E R$120,00 AO ANO
  • ABSORVENTES DE USO DIÁRIO – R$ 10,00 ( MENSAL)
Nessa continha rápida há valores aproximados do quanto nós mulheres gastamos anualmente com nossa vagina. Então; vocês acham que vou ficar “dando” de graça? Por favor! 
Não estou afirmando que vou me prostituir, muito menos estou às induzindo a seguir este caminho. Não que eu tenha algo contra as prostitutas, apenas acho que esta não é a melhor alternativa. Mas acredito que se prostituir é muito mais honesto que roubar, matar e traficar. 
O que quero dizer é que realmente não tenho condição alguma de ficar por aí perdendo meu precioso tempo fazendo sexo com pobre em motel de quinta. Homem bom para mim é aquele que ajuda e não que atrapalha.
Vamos ser francas: tudo bem que as coisas estão mudando, mas sabemos que um homem de verdade faz questão de pagar a conta e jamais aceita ser bancado por uma mulher. Agente até aceita dividir ou pagar em ocasiões especiais, mas fazer isso sempre, por mais feministas que possamos ser, é terrivelmente assustador.
Acabei descobrindo ( aos trancos e barrancos ) o quanto vale a minha vagina. E hoje não assumo um nível social abaixo do meu por pênis nenhum desse mundo ( por mais gostoso que ele possa ser). 


terça-feira, 17 de setembro de 2013

MADAME CHARME

Hello, leitoras queridas. Hoje é dia de botar o papo em dia.
Vocês, que já me acompanham há algum tempo, sabem que estou em fase de mudança pessoal, em busca de um objetivo principal: encontrar um cara perfeito. Mas até chegar a este homem maravilhoso muita coisa tem que ser mudada em mim. Pois bem, como o tema deste blog é "encontrar um bom partido", eis aqui uma dica maravilhosa que está me ajudando muito e queria compartilhar com as senhoritas.
Estou lendo e amando o livro Madame Charme – Dicas de Estilo Beleza e Comportamento Que Apendi em Paris, de Jennifer L.Scot. Um livro prá lá de motivador, super moderno.
Nesse livro a autora aborda tanto temas visíveis e tangíveis da feminilidade, como também discute aspectos impalpáveis como a autoconfiança, senso de humor, disposição. Muito interessante, pois segundo a própria autora, você pode frequentar os melhores salões, ter as roupas mais caras e as unhas mais bem-feitas, mas se não tiver autoconfiança, tudo isso não vale de nada. Quem é que não conhece alguma mulher que aos nossos olhos nem é bonita, mas faz o maior sucesso no mundo masculino?
Aposto que todas vocês já esbarraram com alguma mulher assim na vida. O que ela tem ?Autoconfiança! Em minha adolescência, lá para os 15 ou 16 anos, tive uma coleguinha de sala que era muito popular, principalmente com os garotos. Nunca entendi o porquê, pois para mim, além de feia; ela tinha o rosto coberto de sarda, ela era burra. Mas por incrível que pareça ela conseguia ter mais namorados que as meninas mais lindas da escola. Só hoje compreendo qual era o segredo.
Os aspectos impalpáveis da feminilidade, como a autoconfiança e o senso de humor, são o mais importante. Nunca se esqueça disso. 

sábado, 7 de setembro de 2013

Blogueira Shame; recalcada ou vazia ?

Há pouco mais de 06 meses criei este blog! No início não recebia nenhum comentário. Hoje já recebo alguns, mas muito modestamente. Acho que isso ocorre porque bloqueei a opção de comentários anônimos. Se não fosse esse bloqueio acho que receberia uma enxurrada de comentários desagradáveis e inúteis.
Não sei porque razão, mas quando o detrator percebe que tem que digitar seu e-mail para expressar seu ponto de vista, estes desistem e consequentemente o número de comentários que recebo de pessoas me difamando são de 0,001%. Não que não existam, mas seu número é bem reduzido. Que blogueiro não gosta de abrir seu blog e se deparar com aquele comentário inteligente, que enriquece a postaguem e que nos motiva a melhorar cada vez mais? Eu adoro! E para mim não importa quantos comentários eu receba. Posso receber apenas 01 por post, mas que este 01 faça a diferença.
Quem tem um blog sabe como é difícil receber comentários, ainda mais de qualidade. Mas; mesmo com todo esse cuidado, vez ou outra ainda recebo algum comentários desagradável. E é aí que quero chegar: Logo no início desse blog eu recebi um comentário de um leitor me chamando de oportunista, vigarista e prostituta e com uma ameaça que se caso eu não excluísse o blog imediatamente eu seria denunciada a blogueira Shame. Minha primeira reação foi: Quem ? Blogueira o que? Nunca tinha ouvido falar nessa criatura. Recorri ao Google!
Foi aí que descobri que a Shame não é nenhuma ex BBB ou atriz Global, ela era uma blogueira como eu, só temos blogs com temas diferentes. Eu utilizo o blog como um plano de ação para conseguir um bom partido, a Shame fala mal das outras blogueiras.Lendo sobre ela na net descobri que é odiada por muitas blogueiras. Mas seria a Shame uma blogueira recalcada ou apenas uma pessoa vazia ?
Lendo o blog da Shame percebi que na verdade lá não tem muito o que se ler. Ela posta coisas já postadas em outros blog, 99% são coisas realmente ridículas. Blogueiras mentirosas que tentam enganar o leitor com textos e fotos já publicadas no exterior ou pessoas se expondo com looks de gosto duvidoso, fazem parte do acervo de posts da Shame. Mas em que eu me encaixaria no blog dessa senhora? Ela iria me criticar e me expor ao ridículo só porque tenho um blog para me ajudar e ajudar outras mulheres a encontrar um bom partido?
Ao criar este blog, nasceu com ele a Zazzle. Este não é meu verdadeiro nome. Fiz isso justamente para não me expor.
Não utilizo muito redes sociais e apenas 04 amigos conhecem a minha verdadeira identidade, amigos de total confiança. Nem minha família sabe da existência do blog. Então não existe a menor chance da Shame descobrir quem sou. E vamos ser honestos: eu acho a Shame até integra, pois ela não divulga nome de ninguém, link de blog algum e cobre os rostos nas fotos hilárias divulgadas na rede. Não acho que ela seja uma recalcada, mas uma mulher vazia sim! Porque vazia? Porque perder tempo para postar em um blog apenas prints com críticas, sem conteúdo próprio algum, isso é muita falta do que ocupar a mente com coisas realmente importantes. Isso não é chique!
A Shame não é uma mulher Bom Partido para homem algum. Imaginem esse blogueira conversando com o William Bonner ou o Jô Soares? Falariam sobre o que ? Sobre a gordinha de Brasília que muito inocentemente postou uma foto sua de min-saia rosa pink e o look não lhe valorizou ?
Não acho errado se fazer uma critica. Criticar é bom e pode até ajudar alguém. Mas, viver de criticar as pessoas e denegrir a imagem de alguém que nem conhecemos não é nada bonito. No fundo, os que fazem isso são pessoas vazias. Então não tenho medo da Shame, até estou seguindo-a no Facebook e regularmente posto em seus comentários o link desse blog, mas nunca fui citada por ela. Acho que ela prefere as blogueiras que a temem kkkk. 


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Bateu cansaço? Fique linda!

Sabe quando se tem vontade de simplesmente largar tudo e sumir no mundo? Eu estou assim hoje! Passei a semana tão atolada de trabalho e hoje a sapatilha ainda inventa de fazer bolhas no meu pé.
E quando estou assim: cansada, ao me recuperar só tenho um desejo. O de ficar linda. Só que ficar linda custa caro, né? E pior: cansa. Não é todo dia que estou a fim de ficar linda.
Mas infelizmente sei que num mundo competitivo como o de hoje, a construção de uma boa imagem pessoal, social e profissional, requer um cuidado comportamental , hábitos, aparência e roupas adequadas.
E para aquelas pessoas que trabalham como eu e não dispõem de muito tempo, estas preferem a praticidade, só que para se reverter isso para uma rotina de mais cuidado e atenção consigo mesmo, pode exigir um pouquinho mais de nós no início.
Hoje recebi um e-mail de uma amiga com dicas que poderão me ajudar nessa minha luta para estar linda diariamente. Pode parecer dicas muito fáceis, mas olha que pelo menos para mim, exigirá muita força de vontade. São elas:· 
  •       Levantar uns 10 minutinhos antes do que o habitual e me arrumar mais que o de costume. Para quem toda hora aperta no celular a função “soneca” e só levanta “no limite”, essa para mim será a dica mais difícil a ser cumprida, mas vou tentar. Hoje mesmo estou com o esmalte descascando , QUE HORROR! E acreditem: eu vi, foi falta de tempo mesmo.
  • Ir à uma padaria chic antes de ir trabalhar (pois é nessa hora que estarei mais arrumada), nesses lugares circulam muitos empresários e executivos solteiros, que preferem tomar café nessas padarias a ter que preparar algo em casa. Gostei da ideia, mas também exigirá muito de mim. Geralmente quando pego expediente ás 09:00, só acordo as 08:00, me arrumo muito rápido para pegar o ônibus das 08:30. Se eu acordasse as 06:30 e saísse de casa ás 07:00 conseguiria tomar um café em uma dessas padarias. Não seria algo para todo dia, mas quem sabe uma vez na semana não consigo. 
  • As livrarias hoje em dia tem um espaço pra leitura com uma lanchonete , ao mesmo tempo que se lê, também se consome. Posso ler um paragrafo de um bom livro, gastando só o valor do café. Ambiente bacana esse, pois pobre nunca vai nesse lugares de cultura!
Vejam  abaixo alguns exemplos com fotos e comparem o quanto uma “arrumadinha” faz diferença no visual. Verifiquem que por mais simples que essas dicas pareçam, surte muito efeito no resultado final.





segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Florais de Bach

Ontem foi daqueles dias que eu queria muito que acabasse as 18:00 horas, mas infelizmente só acabou ás 23:59 e eu trabalhei até ás 22:00. Sim, sim, eu trabalho aos domingos.
Cheguei em casa exausta, tomei um bom banho, vesti a camisola e aqui estou eu na madrugada de segunda-feira escrevendo um post. Bem que eu queria fazer isso com mais frequência, mas tenho um trabalho que me ocupa 6 dias da semana, 12 horas por dia. E é esse trabalho que paga as minhas contas. Então, vou postando sempre na medida do possível.
Hoje queria contar a vocês sobre um caso que me ocorreu há duas semanas:

Minha vida profissional deixou de se resumir a oito horas diárias, faz tempo. À medida que meu salário aumenta, a demanda triplicava e eu acabei tendo que dedicar tempo real à empresa. Cansada dessa vida de só trabalhar e dormir, decidi que por mais difícil que seja a tarefa de conciliar trabalho e lazer, eu estaria decidida a me dedicar mais a atividades que me dão mais prazer, para que assim eu consiga alcançar um equilíbrio.
Não vou mais passar meus dias de folga em banco, salão e no mercado ( atividades que geralmente não consigo realizar durante a semana); nem que eu tenha que abdicar diariamente das minhas 2 horas de almoço para resolver pendências ou começar a frequentar esses supermercados que ficam aberto 24 horas.
Minha carga horária de 12 horas por dia é de segunda a sexta, aos finais se semana, trabalho 08 horas.
Há umas duas semanas recebi um e-mail de um centro de estética daqui da minha cidade, me convidando para uma doação de Reiki. A entrada era um pacote de fralda geriátrica que seria doado a um asilo de idosos. Por coincidência, esse evento seria realizado em um sábado ás 15:00, onde eu trabalharia das 06:00 ás 14:00. Resolvi participar, mesmo nem sabendo exatamente o que era REIKI.
Meu pensamento foi: “Se bem não fizer, mal não fará”. Eu estou esgotada física e mentalmente, além de precisar espairecer, ver gente. Então comprei na farmácia a fralda e fui.
Chegando lá descobri que o reiki é uma terapia alternativa, uma espécie de mentalização em busca da cura física e espiritual. Em minha seção foram utilizados cristais, tudo com o intuito de equilibrar meus canais de energia.  
Finalizada a seção, a mestra me indicou Florais de Bach, com duas essências. Gente, nunca tinha ouvido falar nisso. Mas hoje sei que são essências extraídas das flores, desenvolvidas por um médico inglês, Dr. Edward Bach, durante a década de 30, que constituem-se em um completo sistema de cura, capaz de transformar emoções e pensamentos. Esses florais são desenvolvidos em farmácias de manipulação e custam uma média de R$ 12,00 o frasquinho, podendo-se misturar 07 essências em cada frasco.
Vejam algumas essências interessantes que tirei do folheto explicativo da farmácia:
  • Mimulus – Acanhamento, timidez.
  • Red Chestnut – Preocupação excessiva pelos outros. Medo que aconteça desgraças ás pessoas que ama.
  • Olive – exaustão, esgotamento mental e físico
  • Wild Rose – Conformismo, resignação. Não se esforça para melhorar , nem luta por nada.
  • Beech – crítico e intolerante com os outros. Atitude julgadora.
  • Chestnut Bud – não aprende com a experiência. Repete sempre os mesmos erros.
 Os florais de Bach não são contraindicados e não causam efeitos colaterais. Também não são remédios, já que não tratam a doença e sim as preocupações das pessoas, auxiliando a parte mental e emocional. Além de ingeridos, eles também podem ser usados nas têmporas e nos pulsos. Então nessa fase de transformações que estamos passando em busca do Bom Partido, super que indico florais de Bach, pois estamos nos transformando em novas mulheres e precisamos dar esse up na parte emocional. 
Para quem ainda tem dúvidas sobre a eficácia dos florais leiam esse texto:
http://www2.uol.com.br/vyaestelar/florais.htm 


domingo, 18 de agosto de 2013

Homem é objeto 2

Continuando a história com o policial...
Acho que meu romance durou aproximadamente uma semana. Foi bom, pois descobri a fórmula para não sofrer. O segredo é não gostar! Nada de paixonites agudas, isso só atrapalha. 
Naquela mesma manhã, onde peguei carona com o “dito cuju” e demos uns beijinhos durante o trajeto, nas paradas das sinaleiras; tive a certeza que ele não era o homem certo. Não era quem eu procurava. Mas como hoje em dia, sou muito mais prática e menos sentimental que antes, deixei rolar.
Como cheguei a esta conclusão Simplesmente, porque logo quando estacionamos ele me agarrou, me beijou e apalpou meus seios. Achei aquilo de uma grosseria tão grande. Não que eu seja uma adolescente ingênua que acha um absurdo se um garoto toca nos seus seios. Estou longe disso. Mas isso não é atitude de cavalheiro. Um lord, jamais trata uma mulher dessa forma: apertando seus seios no primeiro encontro ( se é que posso chamar de encontro).
Em minha opinião um homem é um cavalheiro não por que agrada a mulher e sim por que a respeita. Ok, são raros homens com esse perfil, mas ainda existem.
E claro que não fiquei ali “aos amassos” bem em frente a empresa onde trabalho. Tenho classe! Dei logo um jeitinho de dizer tchau. Nos falamos durante uns dois dias, ( deixando claro que sempre foi ele que ligou). E após o terceiro dia, ele foi me pegar no trabalho para me levar para casa.
Achei aquilo bonitinho. Vocês podem até me chamar de imbecil, mas tive poucos homens na vida que foram me buscar no trabalho de carro. Aceitei, pois antes um canalha de carro que um certinho de busão. Afinal: os canalhas só maltratam bestinhas, mulher esperta sempre tira proveito e dá nó nos canalhas. 
Eram 22:00 horas e ir para casa de carro esse horário é fantástico. Só que o carinha não estava alí só para me fazer essa caridade. Primeiro ele tentou “namorar” com o carro ali, estacionado em frente meu trabalho. Mais uma vez “cortei” e mandei seguir adiante. Fomos conversando e ele parou o carro em uma rua pouco movimentada no meu bairro. Naquele momento decidi ser um pouquinho grata com ele e dá uma “namoradinha”, sou mulher e nós mulheres precisamos disso. Não que homem seja sinônimo de felicidade. Não é nada disso! Estou a um ano sem sexo e muito bem obrigada. Mas passar 2, 3, 4, 5 anos sem dá um beijo na boca, isso só deixa a mulher frustrada, histérica, mal humorada e mal amada. Mulher tem que ser sexualmente realizada.
Começamos a nos beijar...achei o beijo dele péssimo, pegada péssima. O clima esquentou e me assustei quando ele tirou as calças. Isso: ficou só de blusa! Perguntei: “ Você é maluco? Estamos na rua”.  Ele respondeu que o carro era todo filmado, que o pessoal na rua não dava para ver etc etc E pior que não dava realmente, mas não estava a vontade. 
Confesso que mesmo não gostando, me senti excitada pela aventura de está ali na rua e acabei topando fazer sexo oral nele. Ele queria sexo convencional, mas não topei. Me poupe que não iria tirar a roupa e ficar alí, de perna aberta, transando dentro do carro, bem onde eu moro.
Para ser sincera ele só tocou meus seios. A genitália ele tentou, mas eu estava com roupa apertada, sinta e ele não conseguiu. Também não fiz nenhum esforço para ajudar. Kkkk Então ficamos só naquela “brincadeira” até ele gozar. 
Resultado: ele gozou e nunca mais ligou. Acho que não atendi suas expectativas. Não transei e fui dura, fria, falsa e fingida. Mas o que importa? Eu não gostava dele. Ele não era o cara ideal. O bom partido que procuro. Só uma cobaia! Sexo só quando eu quero e como eu quero!

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Homem é objeto

Quer dizer que agora até a Valdirene arranjou um milionário e eu nadaPelo menos não estou de “bico seco” e já beijei dois homens esse ano. Sabe quando agente é adolescente e o que mais vale é quantidade e não qualidade, quando saíamos para algum show e contávamos para as amigas: “Já beijei três e você? Depois amadurecemos e vemos o quanto eramos bobas?
Pois foi isso que aconteceu comigo, só que depois dessa fase fiquei mais boba ainda e em vez de dá valor a quantidade, dei valor ao amor. Que droga de sentimento é esse? Hoje, mais madura e rodada, voltei a ter o mesmo pensamento de adolescente: só que em uma edição revisada: vale a quantidade sim, mas quantidade em alto padrão e não apenas números.
Errada ou não, me tornei criticamente seletiva, e sei o que não quero! 
A Direção da minha empresa possui um relacionamento muito amigável com a Polícia Civil e Militar, onde sempre que possível doamos alimentos, lanches e dinheiro para confraternizações das equipes policiais. Acho bem bacana essa atitude, até inteligente. Nunca tivemos problema algum a qual necessitássemos de ajuda, mas é sempre bom ter a Polícia ao nosso lado. Nunca se sabe.
Pois bem...Há dez dias estava eu saindo do trabalho ás 22:30 aproximadamente e tinha uma viatura da Polícia Civil na porta da minha empresa esperando algo que seria doado para a festa do dia dos pais. Neste dia tinha ido trabalhar de salto e para meu azar acabei virando o pé me causando uma dor muito forte no tornozelo. Não conseguia nem caminhar.
Juntamente com outro gerente parei próximo a viatura para cumprimentar o policial, que acabou se comovendo com minha situação e ofereceu ajuda perguntando se eu não queria uma carona já que ele se dirigia a uma delegacia próximo a minha residência. Aceitei é claro! Ao entrar na viatura tivemos o seguinte dialogo:
ELE : “Vou te levar para delegacia”
EU: “Nem dá kkk, amanhã trabalho ás 06:00” 
Conversamos amigavelmente durante o percurso e o policial me deixou em casa. Ao sair do carro ele perguntou: “Olha, moro no bairro X, próximo a seu trabalho, amanhã termino o plantão ás 05:00. Posso te deixar na empresa se desejar”. Nossaaaaaa, aceitei novamente na hora. Para mim é terrível acordar as 04:00 da manhã para pegar o ônibus de 05:15 e está no trabalho ás 06:00. E ele se oferecendo para me levar de carro? Minha resposta foi : SIM, SIM, SIM!!!
Mesmo assim, ainda duvidava da gentileza. Puro engano: pontualmente meu celular toca, era ele já na portaria do prédio me aguardando. Achei tão fofo, tão educado. Ao sair do portão e o vi no carro dele particular já gostei: carro bonito, não sei a marca, pois não entendo muito de carros. Só sei que era vermelho e com vidros escuros ( um  amigo tem uma teoria que define os homens pelos carros que eles usam).
Durante o trajeto nos beijamos. Não sei da parte dele, mas para mim foi algo bem frio, como se ele fosse um homem objeto e aquele beijo seria apenas um pagamento pela carona. Naquele momento tive dúvidas se algum dia não conseguiria me prostituir por dinheiro. Sei lá...acho que meu coração se tornou uma pedra de gelo. Homem para mim só assim: para usar. 
Continua...

domingo, 4 de agosto de 2013

Na balada sozinha - PARTE 2

Vou confessar: já estou quase convencida de que sou diferente mesmo, para não dizer até meio desequilibrada. Tô nem aí para o que pensam ou falam a meu respeito e não peço ou espero que ninguém me entenda. Nem poderia, vivemos em uma sociedade hipócrita, onde as pessoas pensam, sentem, mas tem medo de falar. Eu não!
Depois do post anterior, onde me diverti muito na balada: SOZINHA e ao mesmo tempo em ótima companhia : a minha; recebi uma enxurrada de comentários no blog, e-mails e mensagens via Facebook de pessoas me perguntando como foi o final da noite, se encontrei algum homem rico blá, blá blá...Então, para matar a curiosidade de todos vou fazer um balanço da minha saída e relatar alguns novos rumos que minha vida anda levando. Comentem: quero opiniões.
Em primeiríssimo lugar vou logo responder a curiosidade da maioria, para quem só estiver interessado nisso nem se dá ao trabalho de ler o post completo: não conheci nenhum homem rico, ou melhor: não conheci homem algum! Meu objetivo principal na noite foi o de me divertir. Acho que já passei tempo demais só trabalhando e chegando em casa para comer, dormir e fazer faxina. Quem trabalha praticamente 12 horas por dia não merece usar suas folgas apenas para organizar a casa e fazer mercado. Hora de mudar o contexto e o cenário. Aquela noite foi simplesmente perfeita, uma das melhores aventuras da minha vida.
Assim que entrei na balada, fui conhecer o ambiente. Corri a casa toda, lugar bacana,  três andares, ótimos espaços, clima agradável. Sou da opinião que cada pessoa deve procurar algo a que a faça sentir-se bem. Não importa o que. Eu me sinto bem em lugares sofisticados, frequentados por pessoas de dinheiro, mesmo que eu ainda não tenho chegado lá.
Depois que conheci todo o local, incluindo o toalete, resolvi me sentar em um dos ambientes. Sem perceber sentei ao lado de uma moça que também estava sozinha e ela veio me perguntar: “Oi, você é amiga da Luisa?” Respondi: não! Conversamos um pouco e descobri que ela era convidada da tal Luisa, que fazia aniversário naquela noite e comemoraria com os amigos ali. Achei tão feio a convidada chegar primeiro que a aniversariante!
Durante a conversa aproveitei para observar os trajes da moça: vestido, sapato, bolsa e compara-lo ao meu, notei que minha única não conformidade foi a bolsa, que realmente estava bem cafona para o local, o que me salvou foi o blaser, que joguei por cima dela e ninguém viu a feiura. Devido ao fato em questão nem senti tanta raiva de ficar a noite toda segurando o “bichinho” kkkkk Conversamos um pouco, até que inevitavelmente a pergunta que não queria calar: “mas você está sozinha?” Não soube como reagir, não sei porque mas senti vergonha naquele momento em responder o obvio: um tórrido sim! Foi aí saltei a pérola: “também estou esperando uma amiga, ela mora longe”. Depois de um tempo a aniversariante, mas um grupo de amigos chegaram com ela, a moça se despediu de mim, mas antes perguntou: “se quiser pode ficar com agente”. Agradeci mas não aceitei. Sei lá, acho que se não fosse comemoração de aniversário eu até aceitasse, mas assim: me infiltrar em festa aleia, não!
Naquele momento só queria curtir bastante a noite, dançar e ouvi uma boa música. Nesse momento aconteceu algo engraçado: passa por mim um “armário”, um homem LINDOOO, forte, calça e camiseta colada, jaqueta preta, lupa; pensei: “o que é isso, Gogo boy, posso utilizar de seus serviços?”kkkk O observei com cuidado e percebi que ele usava um cinto com duas garrafas penduradas na cintura: “ahhh, tequileiro”.
Me deu sede, não bebo nem socialmente, não suporto cerveja. Aí pedi a única bebida que gosto do sabor: Smirnoff Ice. Pensei: “Se no supermercado uma garrafinha custa R$ 3,50; aqui devo pagar uns R$ 8,00. Estava enganada: R$ 11,90. Ainda bem que foi só uma. Sem o costume de beber já fiquei tontinha, tontinha com uma, vou lá arriscar mais ?
Enfim: a experiência foi maravilhosa e vou repetir mais vezes. Pode parecer bobagem, mas me senti poderosa, uma verdadeira guerreira. Não sabia que eu era tão forte. Eu posso sair sem “muletas”, posso fazer minha noite e me divertir sozinha, eu simplesmente POSSO!
Ahh gente: nada haver com o post, nada haver com a balada, mas tenho novidades: fiz sexo oral em alguém na sexta-feira. Quem? Como? Onde? Conto no próximo post. É só para perceberem o que a sensação de poder pode atrair para vida de alguém. A mudança na vida vem de dentro mesmo. Acredite! 

terça-feira, 30 de julho de 2013

Na balada sozinha

Tenho novidades para contar! Como relatei em alguns posts anteriores eu já tracei as estratégias, agora chegou a hora de coloca-las em pratica.
Sexta-feira chegou e eu respirei fundo, rezei, tomei coragem e fui a balada sozinha. Me senti uma blog-repórter, queria registrar absolutamente TUDO para contar aqui para vocês. Sei que parece bobagem, mas pelo menos aqui na cidade onde moro é muito estranho ver uma mulher solteira, sozinha na noite. E cá entre nós: depois de certos verões fica cada dia pior ser solteira. Família julga, amigos julgam, vizinhos julgam...
Sempre fui muito independente para tudo em minha vida, mas de uns anos prá cá, fui perdendo a independência social. Nunca fui barrada por meus pais para não ir a uma festa ou balada com minhas amigas. Mas o tempo passou, as amigas casaram e eu aos poucos perdi as companhias. Até acho que em determinadas ocasiões da vida, a melhor companhia que a gente pode ter é a nossa própria, mas que é estranho chegar em uma balada só não podemos negar. Mas como não nasci grudada com ninguém e vou morrer só, não posso deixar o tempo passar e esperar envelhecer. Quantas pessoas ( inclusive eu ) ficam em casa aos finais de semana, morrendo de vontade de sair, mas não tem a coragem e ousadia? Então como contei decidi encarar o desafio!  
Nada de shows em arenas ou parques, queria algum lugar onde pudesse sentar e escutar uma boa música. Escolhi então uma casa de shows super badalada aqui da minha cidade.
Um lugar chique, caro e aconchegante. Traduzindo: ambiente de rico. Quando estava toda pronta esperando o taxi, caiu a maior chuva. Então pensei: não dá para ir para balada segurado sombrinha né ? E meu cabelo que estava escovado? E o make?  Foi aí que tive a ideia de levar um blazer, assim o colocaria na cabeça e me protegeria durante o trajeto na saída do taxi até a porta da balada. Puro engano! Lugar chique é outra coisa!
Ao saltar do taxi se aproximou um segurança com um guarda chuva enorme ( mas parecia um toldo ) e me acompanhou até a porta. Ual, pensei! Não me molhei nadinha, só vou ter que ficar agora segurando o blazer. Que saco!
Chegando a portaria dei meu RG e recebi um cartãozinho. Pensei : onde será que paga a entrada? Como não vi bilheteria imaginei: ummm deve ser na saída. Bingo, era isso mesmo.
Tudo que era consumido na balada era creditado no cartão que recebemos na entrada. Para sair a pessoa se dirigia ao caixa que ficava dentro da próprio local, efetuava o pagamento e este cartão já pago era apresentado na saída. Simples assim. Ok..você pode está rindo, mas eu não sabia como as coisas funcionavam. Eu também sei: já estou bem velhinha para está aprendendo só agora, mas não estou morta, antes tarde do que nunca. 
No inicio me senti um peixe fora d’agua, totalmente deslocada, mas acabei adorando a noite e depois de me arriscar pela primeira vez, me pergunto porque não fiz isso antes.Micos? Além do blazer para colocar na cabeça, sim, tiveram outros. Kkkk Mas essas histórias ficarão para um próximo post, agora deixo aqui algumas fotos da local. Desculpe a qualidade péssima das fotos, mas estas foram tiradas com o celular. 






sexta-feira, 26 de julho de 2013

Meu problema é sono !

Cês tão lembradas que, semana passada eu relatei como anda minha vida e expliquei o porque de está tão cansada? Para quem não lembra eu resumo: trabalho, trabalho e muito trabalho. Definitivamente já decidi não me matar tanto por dinheiro. Ok, ainda não posso parar de trabalhar e viver de renda, bem que eu gostaria, mas ainda não dá. Então fui traçando algumas estratégias:

Infelizmente existem pessoas que não conseguem se desligar do trabalho durante o horário de descanso. Eu sou uma delas! Meu emprego me exige uma carga horária de 12 horas por dia, com duas horas de almoço. Tenho o costume horrível de não tirar essas duas horas a qual tenho direito. Sempre gostei de “levar direto”. Hoje não mais.

Estou me policiando e tirando meu horário de descanso e até conseguindo dormir nesse intervalo. Para tentar minimizar os resultados da privação de boas noites de sono, estou tirando meu descanso e me alimentado melhor no café da manhã. Se, para cada noite mal dormida, a pessoa vai precisar de duas ou três noites de descanso para se recuperar, essas duas horinhas poderão fazer a diferença, já que não consigo dormir bem todas as noites. 

E a essa altura do campeonato, vocês já me conhecem bem, né? Já dá para perceber o quanto sou determinada. Cansei de tomar no café da manhã, café com bolacha e só. Chega: muita pobreza, além de não ser nada saudável.
O lema agora é: me alimentar melhor e descansar. E não é que estou muito mais disposta? Prontinha para ir a luta em busca do bom partido.
E é essa mensagem que deixo para vocês hoje: mude por dentro, veja o que está acabando com sua energia e corrija.
E para ilustrar o post de hoje algo bem criativo: meu café da manhã. 

sábado, 20 de julho de 2013

Mulher, pode sair sozinha?

Traçando minhas estratégias de como “fisgar” um bom partido cheguei a uma conclusão bem obvia: eu deveria está no lugar certo, na hora certa. O difícil para mim é saber exatamente onde chegar.
Como já comentei inúmeras vezes trabalho praticamente 12 horas por dia, utilizo transporte publico e quando chega os finais de semana, só desejo ficar a sós com meus pensamentos. Não tenho animo para balas, teatros, cineminha. Outro ponto gravíssimo é que praticante não tenho amigos e consequentemente me falta companhia para sair.
Ok, muitas vezes devido ao esgotamento físico e mental motivado pela carga horária puxada, eu só procuro paz e sossego. Mas tenho percebido que preciso fazer algo, pois o tempo está passando e eu praticamente só como, durmo e trabalho. Meus únicos momentos de laser são em família e as chances de se conhecer alguém em passeios familiares são as mesmas que acertar sozinha na Sena.
O problema sou eu. Admito: "Minha-culpa". Fazemos nosso destino e eu demorei para caí na real e perceber o quanto estava me isolando do resto do mundo e deixando boas oportunidades passarem. Mas ainda dá tempo! Precisava primeiramente levantar o astral. Parar de trabalhar eu não podia, mas viver para o trabalho também não.
Entrei em uma farmácia e comprei o remédio Targifor C, de acordo com o rótulo ele combate o esgotamento físico, justamente o que precisava. Já estou tomando-o a uma semana e tenho percebido uma leve melhora.
Essa semana ainda não foi a ideal, mas quem sabe na próxima eu colocaria meu plano em ação: sair sozinha. Sozinha? Como assim? Isso mesmo...Algum crime ?O que eu deveria fazer agora? Esquematizei alguns tópicos para esta ação, que faz parte do objetivo final: encontrar um bom partido e dá xeque mate. São elas:
  • Baladas não estão descartadas, mas estas não devem ser em shows em locais abertos muito grande. Shows só em casas de espetáculos, equipadas com cadeiras e mesas. Rico que vai para show que fica em pé, com banheiro químico, geralmente são adolescentes e adolescentes não estão lá interessados em casamento. Rico maduro bom partido, geralmente frequenta boate, bares de luxo com um showzinho ao vivo ou casas de espetáculos tipo a Skyline em São Paulo de propriedade da Cozete Gomes, ex Mulheres Ricas.
  • O ideal é sair e se divertir e não “caçar”. Seu foco será você. Quando começar a sair irá esquecer a solidão e não ficará deprimida.
  • Pizzaria, cinema, teatro porque não ?
  • Leia o jornal do final de semana e fique atenta a programação cultural da cidade. Existe inclusive muita coisa boa e gratuita.Não se preocupe: pobre vai para pagode e baile funk e não para teatro.
  • Não esqueça: lugares requintados exigem aparência requintada.
  • Não tem companhia ? Vá só, mas escolha “ a dedo” o local, evitando assim perda de tempo e dinheiro. Não tenha medo de passar a imagem de uma solitária jogada fora. O segredo é a confiança. 

domingo, 14 de julho de 2013

Como se Infiltrar na High Society

Não sei, mas esses dias tenho a nítida sensação que as coisas estão começando a mudar em minha vida. Um dos motivos de me fazer acreditar nisso é que tenho sido bastante elogiada no ramo profissional. Também percebo que tenho atraído muitos olhares masculinos, o que tem me deixado bastante metida. E quando fico metida é porque estou feliz. Mas até para ser feliz deve-se existir cautela.
Cautela porque? Infelizmente descobri que nesse mundo nós mulheres não podemos nos achar bonitas, não podemos dizer que somos inteligentes, ou escrevermos um blog e falarmos que não temos interesse em homem sem uma boa condição financeira, porque todo mundo vai nos chamar de esnobe. Mas, quem liga?
Uma das maiores qualidades dos vencedores é a capacidade de colecionar inimigos. Se um jogador de futebol faz um gol de placa e comemora demais, isso é feio, é desrespeito ao torcedor do time adversário. Essa é a realidade! Então não ligue e “se ache” , sem se importar com opinião alheia.
Como contei nos comentários do post anterior, eu ainda não tinha feito sexo ou beijado alguém este ano de 2013. Consegui beijar, mas o quesito sexo ainda está pendente. Não quero ir para cama com qualquer um, quem faz sexo por fazer são os animais irracionais. E eu sou racional!
Estou investindo o que posso e o que não posso para me infiltrar na high society e tenho certeza que me darei bem.
Comecei pelo trabalho, mudei de ramo de atuação e agora convivo profissionalmente com várias pessoas ricas ou consideradas classe média alta. Assim consigo observá-los, vendo seus modos de se vestir, portar, conheço seus gostos, bancos, cartões de crédito etc. Claro que isso não é muita coisa, mas é uma forma de observação e quem sabe não me esbarro no trabalho com “ELE”, meu BOM PARTIDO?
Foi desta forma que conheci um cantor de forró que se encantou por mim e me deu seus contatos ( celular e face ). Ele não é muito conhecido ( mas já foi ). Juro que não associei o nome artístico a pessoa. Depois que ele me falou que era cantor e como se chamava pensei: “já ouvi falar, mas não lembro”. Depois ele cantou uma de suas canções: um clássico, não tem ninguém que não conheça, essa música fez muito sucesso a uns 20 anos atrás e é cantada até os dias atuais. Bom: no mínimo ele deve receber direitos autorais até hoje.
Fucei o face do cantor todo, descobri que além de cantar, atualmente ele também é empresário, dono de um restaurante. Não o considerei milionário, mas acredito que tenha uma vida confortável e talvez possa ser um bom partido.
Pedido de amizade aceito, o bloqueei no bate papo por 3 dias, para causar “ansiedade”. Desbloqueei e já o vi online, não falei: para não passar a impressão de ter ficado a fim...mulher deve passar a imagem de indiferente. Ele também não falou! Dá próxima vou dá um oi e ver no que é que dá. Só precisarei ser cautelosa, conduzir com inteligência a conversa e não responde-lo assim que ele tc algo, mesmo que esteja conversando só com ele, nunca contar.
E é assim que devemos agir para nos infiltrar na High Society: com cautela, sem demostra deslumbramento e agindo como se tudo fosse comum e fizesse parte do nosso cotidiano.           

domingo, 7 de julho de 2013

Um Toque de Sofisticação

Conversando por e-mail com uma “parceira” de ideias, me surgiu a ideia sobre o título deste novo post: “Um toque de sofisticação”. Será mesmo possível e estritamente necessário transformar coisinhas simples e básicas e algo sofisticado ? Acredito que sim! Ao contrário do que muitos pensam dá sim para viver uma vida um pouco mais glamorosa com pequenos gestos e mudança de hábitos. Viver como os ricos não é uma tarefa simples, ainda mais para aquelas pessoas que como eu não nasceram em berço de outro.
Estou cansada de choramingar ou de ouvir outras mulheres incríveis fazerem o mesmo. Onde é que se escondem os bons partidos? De uma vez por todas garotas: eles não se escondem, nós que não estamos abrindo espaço para atraí-los.
Claro que a localidade de “caça” é extremamente importante, afinal ninguém sonhe que irá encontrar um médico cirurgião, culto e independente financeiramente em um baile funk na favela do Rio de Janeiro ou tomando um banho de sol no Piscinão de Ramos. Homens bom partido costumam frequentar lugares sofisticados, culturais, familiares ou baladas top.
Quando a mulher não é do mesmo nível social, poderá sentir algum tipo de dificuldade, mas nada impossível. Se você não tem o mesmo nível social, tenha o mesmo nível cultural. Mas antes de nos preocuparmos com o onde, melhor focar no como. 
Custei para aprender que em primeiro lugar deveria mudar por dentro: autoestima, autoconfiança, comportamento de rica para atrair um rico. Abrir espaço para esse lado de nossa verdadeira identidade ( a de mulher rica ) irá exigir algumas leituras, reflexões, mudanças e meditações. Bem, eu nunca disse que não daria trabalho. Mas estou disposta a enfrentar o desafio. Como já comentei estou trabalhando muito. Mas Deus ajuda a quem trabalha e por enquanto ainda preciso de meu salário.
Tive uma folga na semana passada e aproveitei o dia para relaxar e acordar ás 11:00 para recarregar a bateria. Estava sozinha em casa e não tinha nada pronto para almoçar. Poderia recorrer ao ovo frito ou ao macarrão instantâneo. Mas isso é comida de mulher rica ? Se quero aprender a ser rica devo comer e agir como tal. Tinha uma pilha de roupa para passar, escova do cabelo pra fazer e contas para pagar, mas me dei ao luxo de deixar tudo para o turno vespertino. Mulher rica não acorda ás 07:00 para ir para fila de banco, as contas que esperancem. Nem tão pouco iria “gastar” minha folga cozinhando. Dei então um toque de sofisticação ao meu dia: Vesti uma roupinha largadinha, calcei as Havaianas e comprei essa marmitinha aqui da foto abaixo.
Nossaaaaa, pode parecer bobagem, mas acordar as 11:00 horas e almoçar uma comidinha gostosa dessas, sem ter que preparar ou despertar com o cheiro da bendita cozinhando me fez muitíssimo bem.  

domingo, 30 de junho de 2013

TENTANDO SER ATROPELADA POR UM CARRO DE LUXO

Admito que possuo algumas habilidades na vida nada agradáveis e merecedoras de sentimento de orgulho: falar sozinha na rua é uma delas. Outra habilidade nada legal que tenho é a de me apaixonar por caras indevidos.
A verdade é que eu sempre desejei amar um príncipe e sei que mereço isso, mas os príncipes nunca me atraíram. Sempre gostei dos bad boys e dos cafajestes e já me machuquei bastante por isso.  Então a mais ou menos três anos decidi mudar e dá um novo rumo da minha vida. Não foi e não está sendo nada fácil. Passei a olhar os homens como mercadorias e mais uma vez me apaixonei por outro carinha errado: pobre e casado.
Mas dessa vez foi diferente, pois ele não era pra mim, mas não era um cafajeste e muito menos bad boy. O fato de ser casado não atrapalhou em nada o nosso relacionamento, para falar a verdade até gostava, pois não assumiria nunca ele para minha família.
Fui bem mais esperta, pois dessa vez não cometi nenhum deslize comum a mulheres apaixonadas: não engravidei, não apresentei ele a família e amigos, não assumi ele, não dei dinheiro, não atendi ligação a cobrar, não o coloquei dentro da minha casa e melhor: mesmo estando com ele estava aberta a “novas experiências”. Um progresso, pois dele só tirei a parte boa e beijei bastante...afinal passar três anos sem dá um beijo na boca deixa qualquer mulher desesperada e psicologicamente abalada.
Mas como mudança não é um conserto rápido, e sim um processo de compromisso com você mesmo, ainda estou em fase de aprendizado...mas já saí do status de aprendiz para estagiária os próximos passos serão pular para trainee e posteriormente profissional no quesito : homens.
ALERTA: Do mesmo modo que a paixão, a paixão por homens errados está relacionada a uma obsessão doentia que tem um alto preço para sua mente.
Cansei de me envolver com pobres. Homem agora para mim tem que ter o mínimo de dinheiro no bolso. E só para esclarecer: o pobre era pobre, mas não tão pobre como outros tantos que já passaram em minha vida. Mas obvio que o homem pobre pode ser errado para mim, mas para você possa ser que satisfaça seus desejos. O que é bom para mim, pode não ter tão bom para outras mulheres, sendo assim: decida qual seu tipo ideal de homem. O difícil agora será conseguir me aproximar dos caras com dinheiro. Vou contar uma situação que aconteceu comigo durante essa semana:
Teve um dia na semana que trabalhei das 06:00 ás 18:00 e antes do fim do meu expediente me avisaram que próximo ao caminho que faço para chegar em casa estava tendo manifestação, então ao invés de pegar o mesmo ônibus de sempre, peguei outro que me deixa em outra direção, perto de casa, mas um pouco mais distante.
Nesse novo caminho que estava fazendo, me recordei que durante o trajeto o ônibus passaria em frente a uma delicatessen super chique e famosa na cidade, me deu vontade de comer um bolo recheado. Desci do ônibus!
Mas claro que tinha convicção que não faria amizades alí com ricos ou algum milionário pediria meu telefone. Mesmo assim queria está naquele lugar aconchegante e tentar fazer dali não uma novidade, mas sim algo comum, rotineiro.
Bem, essa delicatessen fica logo acima de uma ladeira em um dos bairros mais nobres da cidade, cercada de mansões, museus e comercio chique. Um bairro calmo e sem pouco movimento.
Pois sim: entrei, comi uma fatia de torta e bebi um cappuccino, me senti muito bem e saí, voltei para o ponto de ônibus. Enquanto esperava o transporte fiquei a observar os belos carros que passavam e pensava como gostaria de estar em um deles, ter um deles e encontrar um homem que tenha um deles.
Nesse exato momento pensei que seria uma ótima oportunidade de aproximação se eu fosse atropelada por um carro de luxo daqueles. Claro que eu não pensei em momento algum em me machucar ou cometer suicídio. Só queria um contato com o motorista, dá a ele a chance de trocar número de celular comigo para perguntar como estou.
Sabia que ali os carros passam devagar, por causa da ladeira e sabia que não poderia morrer. Então fiquei olhando pra ver se meu ônibus chegava. Fiquei bem na pista, mas claro, não deixei o corpo todo para fora, só uma bandinha...afinal prevenir é melhor que remediar.
Chame-me de extremista; eu não conseguir ser atropelada por um carro de luxo, mas em minha opinião o homem certo para mim pode está em qualquer lugar, até assim, no meio da rua.
Vantagens de ser atropelada por um carro de luxo ( sem risco de morte é claro ):
1-    O motorista do automóvel pode ser um homem muito rico e se apaixonar por você.
2-    Ao lhe oferecer ajuda, aceite: com certeza ele não te levará para o SUS. Caso seja só um arranhãozinho ele poderá te levar ao apartamento dele para fazer um curativo.
3-    Caso o acidente corra para vias judiciais você receberá uma boa indenização e não uma ajuda de R$ 500,00 pagas pelo dono daquele Chevette, Gol ou Voyage acabado.
4-    Todo carro tem a cara do dono.