quarta-feira, 8 de maio de 2013

ADORO DINHEIRO


A maneira como tratamos nossos recursos e vemos o poder do dinheiro, oscila entre posturas lógicas, emocionais, corajosas, covardes, calculistas ou instintivas. A uma variação de indivíduo para indivíduo, a verdade é que essas características brotam em nossa mente e guiam nosso futuro.

Desde quando por insistência de amigas resolvi criar este blog, recebo comentários de muita gente dizendo que sou uma “aproveitadora” e que deveria procurar um trabalho e tentar vencer na vida com recursos próprios.  Essa é uma das diferenças entre ricos e pobres. Muitas pessoas acreditam que precisam de seu próprio dinheiro para fazer dinheiro, enquanto pessoas ricas não veem nenhum problema em usar o dinheiro de outras pessoas.

Indivíduos verdadeiramente ricos estão sempre arrodeados de pessoas que têm as mesmas ideias que eles e condenam atitudes de pessimismo, falta de visão, tristeza e melancolia, o que aumenta a fama de esnobes. Sendo assim estou pronta para as críticas que podem surgir.

O problema do posicionamento dessas pessoas que criticam quem ama o dinheiro como eu, é que a opinião delas não se sustenta. Casar com pobre é pedir esmola para dois; então hora ou outra quando elas se vêm atoladas de dívidas, sem dinheiro para fazer um programa a dois e comendo mal, a falta de preparo emocional e financeiro cobra a conta, e geralmente é bem cara.

A imprevisibilidade do universo trata de criar em nossas vidas situações as quais não conseguimos controlar, a solução é trata-las com maturidade. Como relatei a vocês tenho um envolvimento amoroso com um boy pobre e casado. Não tenho certeza qual o valor de seu salário, mas acredito está na faixa dos R$ 900,00, com os descontos ele deve ganhar uns R$ 750,00.

Gosto dele e sou tratada por ele com um carinho e uma dedicação a qual homem algum já teve comigo, mas mesmo que ele se separe como poderemos morar juntos com uma renda mensal nesse valor? Meu apartamento é próprio, não pago aluguel, mas se eu coloco alguém dentro da minha residência e construo uma união estável é bem provável que posteriormente eu tenha que dividir meu imóvel ou seja obrigada a pagar pensão a homem. Por isso afirmo: certas situações exigem maturidade financeira.

Dizer que o importante é o amor é um mecanismo bem rebuscado de autodestruição. Pessoas ricas gastam muito tempo olhando para o futuro, estabelecendo metas e ansiosas pelo o que vem pela frente.

Então vou levando o boy; rico ou pobre, é homem! E sendo homem poderei treinar todas as técnicas de sedução, dominação, manipulação e até sexual. Porque não? Descobrir o que me dá prazer, descobrir o sexo oral, anal e “animal”. Beijar, transar, afinal não dá pra ficar entrando ano e terminando ano sem dá uma “bitoquinha”. Isso estressa a mulher e a transforma em uma “mal amada”, triste e rancorosa, com o coração de gelo e os nervos a flor da pele. Vou está pronta para quando meu príncipe chegar, pois com ele não poderei errar, não haverá “treino”, será ou tudo ou nada. Só não posso ser burra: beijar pobre ainda é aceitável, mas se apaixonar e dispensar “grandes oportunidades” jamais! Sendo assim: o boy assalariado fica! Conheci um médico, um engenheiro ou um diretor: dou corno! Afinal sou solteira e não devo fidelidade a homem de outra! 


13 comentários:

  1. Apesar de meu objetivo não se ser encontrar um homem rico, mas se vier ótimo... rsrs... Acho que não ia querer morar junto com um cara que ganha 750 reais, porque já morei com um que ganhava menos e foi um horror total. Não quero repetir a experiência.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Eu também não ia querer morar junto com um cara que ganha 750 reais. No casamento isso interfere muito na vida afetiva. À medida em que lutávamos pra crescer queremos pessoas iguais ao nosso lado. Já tiraram muito sarro de mim quando eu namorava um "pobretão" que não poderia me dar nada, era deprimente.

    ResponderExcluir
  3. Olá Zazzle!

    Eu também confesso que quero um marido rico. E que seja estudado, culto e que saiba se comportar. Minhas amigas dizem que estou muito exigente, mas já passei da fase de me envolver com qualquer um, principalmente se for para um compromisso mais sério.

    Já cansei de ver amigas, até bem sucedidas, que colocam qualquer um dentro da casa delas, depois o sujeito se encosta e não quer saber de mais nada. Tenho uma amiga, que para se livrar do "marido", teve que dar um carro para ele, porque até parte da casa dela ele quis.

    São por estas coisas, que vejo que não vale a pena ficar se envolvendo com qualquer um.
    Eu não me imagino saindo da casa dos meus pais, para casar e pagar aluguel, e ficar contando moedas todo final de mês. Eu não quero esta vida para mim.

    E também não me vejo como uma aproveitadora e oportunista. Trabalho desde a adolescência, sempre me esforcei nos estudos. Nem me passa pela cabeça casar, parar de trabalhar e virar dona de casa, mesmo que nessa casa tenha uma equipe de empregados.

    No post anterior, li um comentário interessante, que dizia que aos 20 a mulher tende a ser mais romântica, e a partir daí pensa de uma maneira mais prática.
    Eu acredito no amor. Mas será que o amor resiste quando falta dinheiro para as despesas da casa, quando um filho fica doente e não há dinheiro para um bom médico, ou quando o casal não pode sequer ir num restaurante?
    Quanto tempo dura o amor vivendo nessas condições?





    ResponderExcluir
  4. Amigas; Não sei porque as mulheres demoram tanto a perceber que estão sendo exploradas. Com certeza tem muitos casos desses por aí. Os cafas são espertos e tem faro pra mulher besta. Conheço uma que tem um marido que está desempregado a 3 anos e ela sustentando o "encosto". Recentemente teve um filho dele. Agora ela sai pra trabalhar e ele fica em casa cuidando do bebê! Esse é o perfil de homem que é sustentado pela mulher que ainda tenta não transparecer. O mais interessante é que para os amigos o dinheiro é dele.

    ResponderExcluir
  5. Admiro o modo como fala abertamente e sem hipocrisia nos seus posts.

    Onde falta ou mantém escuso nas pessoas, em você visualizamos tudo abertamente. A vida é sua e ponto.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Turismóloga,

      Obrigada pelo carinho, achei seu comentário um encanto.

      Beijocas

      :) Zaz

      Excluir
  6. Oi, Zazzle!

    É verdade que as coisas estão mudando - ainda bem! - mas ainda tem muito homem que não aceita ganhar menos do que a mulher. Sinceramente não saberia mensurar o quanto o aspecto financeiro interfere positivamente ou negativamente na vida de um casal - tenho visto tantos exemplos de sucesso e fracassos -, mas eu particularmente acredito no equilíbrio e no bom senso entre as partes envolvidas. Mas esse é apenas o meu ponto de vista. :)

    Um abraço!

    Ah, e obrigado pelo interesse! Em breve atualizarei o blog, sim. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaime

      Você está certo, mas sabia que até admiro esse tipo de homem? Tenho nojo é daqueles encostados, vagabundos, que quando encontram uma boboca para lhes bancar eles vibram como se estivessem ganho na Loteria. Uma falta de vergonha e pior ainda a mulher q se sujeita à isso.

      Já namorei um vagabundo, mas era mais esperta, dei dinheiro, mas só dei trocados. Nunca fui burra o suficiente pra dá altas quantias ou "hospedá-lo" em minha casa, para eu pagar tudo e ele ficar em casa vendo televisão. Quem tem mais obrigação de aturar ele é a mãe e não eu.

      Abraços

      ZAZ

      Excluir
  7. Eu também apoio a causa e vou confessar que já namorei um garoto bem humilde e eu sentia vergonha do estilo do meu namorado. Ele era muito diferente de todos os meus amigos, fiquei bastante insegura em relação ao garoto e terminamos.

    ResponderExcluir
  8. Zaz... Faz tempo que não comento, mas hoje tirei um tempo para ler todos os post novamente (é que muitas vezes leio mas não deixo comentário) e comentar.

    Enfim... Os últimos post foram relacionados direta ou indiretamente, sobre esse tal "boy" que aparentemente tem como único "defeito" ser desprovido de recursos financeiros. Primeiro, só pelo fato de você comentar tanto sobre ele, dá a impressão de que você de certa forma quer (não sei ao certo) provar para si mesma algo que não fica claro, ou tirar um peso, enfim, não sei... Eu fico cada vez mais surpreso com a capacidade de nós homens enganarmos as mulheres... Enfim... Por mais que ele seja tudo isso que você comenta... Acho que está mais do que na hora dele ter a participação em sua vida que você descreve nos post: como teste de técnicas emocionais e sexuais... Somente isso e não fazer parte do seu dia-a-dia (com mensagens e ligações) e parte do seu Blog... Não sei se fui claro ou invasivo de mais, talvez não soube expressar direito, enfim...

    ResponderExcluir
  9. Menina, achei seu blog o máximo! Enfim, alguém que pensa como eu.

    ResponderExcluir
  10. Por isso sei que não deve namorar ainda, ganho pouco e estou na faculdade. Quero realmente quando tiver um namorada pode dar presentes, pagar a conta (pelo menos algumas vezes né!) sem preocupações, isso tanto homens quanto mulheres procuram e um salário de 750 reais não da né.

    ResponderExcluir