domingo, 30 de junho de 2013

TENTANDO SER ATROPELADA POR UM CARRO DE LUXO

Admito que possuo algumas habilidades na vida nada agradáveis e merecedoras de sentimento de orgulho: falar sozinha na rua é uma delas. Outra habilidade nada legal que tenho é a de me apaixonar por caras indevidos.
A verdade é que eu sempre desejei amar um príncipe e sei que mereço isso, mas os príncipes nunca me atraíram. Sempre gostei dos bad boys e dos cafajestes e já me machuquei bastante por isso.  Então a mais ou menos três anos decidi mudar e dá um novo rumo da minha vida. Não foi e não está sendo nada fácil. Passei a olhar os homens como mercadorias e mais uma vez me apaixonei por outro carinha errado: pobre e casado.
Mas dessa vez foi diferente, pois ele não era pra mim, mas não era um cafajeste e muito menos bad boy. O fato de ser casado não atrapalhou em nada o nosso relacionamento, para falar a verdade até gostava, pois não assumiria nunca ele para minha família.
Fui bem mais esperta, pois dessa vez não cometi nenhum deslize comum a mulheres apaixonadas: não engravidei, não apresentei ele a família e amigos, não assumi ele, não dei dinheiro, não atendi ligação a cobrar, não o coloquei dentro da minha casa e melhor: mesmo estando com ele estava aberta a “novas experiências”. Um progresso, pois dele só tirei a parte boa e beijei bastante...afinal passar três anos sem dá um beijo na boca deixa qualquer mulher desesperada e psicologicamente abalada.
Mas como mudança não é um conserto rápido, e sim um processo de compromisso com você mesmo, ainda estou em fase de aprendizado...mas já saí do status de aprendiz para estagiária os próximos passos serão pular para trainee e posteriormente profissional no quesito : homens.
ALERTA: Do mesmo modo que a paixão, a paixão por homens errados está relacionada a uma obsessão doentia que tem um alto preço para sua mente.
Cansei de me envolver com pobres. Homem agora para mim tem que ter o mínimo de dinheiro no bolso. E só para esclarecer: o pobre era pobre, mas não tão pobre como outros tantos que já passaram em minha vida. Mas obvio que o homem pobre pode ser errado para mim, mas para você possa ser que satisfaça seus desejos. O que é bom para mim, pode não ter tão bom para outras mulheres, sendo assim: decida qual seu tipo ideal de homem. O difícil agora será conseguir me aproximar dos caras com dinheiro. Vou contar uma situação que aconteceu comigo durante essa semana:
Teve um dia na semana que trabalhei das 06:00 ás 18:00 e antes do fim do meu expediente me avisaram que próximo ao caminho que faço para chegar em casa estava tendo manifestação, então ao invés de pegar o mesmo ônibus de sempre, peguei outro que me deixa em outra direção, perto de casa, mas um pouco mais distante.
Nesse novo caminho que estava fazendo, me recordei que durante o trajeto o ônibus passaria em frente a uma delicatessen super chique e famosa na cidade, me deu vontade de comer um bolo recheado. Desci do ônibus!
Mas claro que tinha convicção que não faria amizades alí com ricos ou algum milionário pediria meu telefone. Mesmo assim queria está naquele lugar aconchegante e tentar fazer dali não uma novidade, mas sim algo comum, rotineiro.
Bem, essa delicatessen fica logo acima de uma ladeira em um dos bairros mais nobres da cidade, cercada de mansões, museus e comercio chique. Um bairro calmo e sem pouco movimento.
Pois sim: entrei, comi uma fatia de torta e bebi um cappuccino, me senti muito bem e saí, voltei para o ponto de ônibus. Enquanto esperava o transporte fiquei a observar os belos carros que passavam e pensava como gostaria de estar em um deles, ter um deles e encontrar um homem que tenha um deles.
Nesse exato momento pensei que seria uma ótima oportunidade de aproximação se eu fosse atropelada por um carro de luxo daqueles. Claro que eu não pensei em momento algum em me machucar ou cometer suicídio. Só queria um contato com o motorista, dá a ele a chance de trocar número de celular comigo para perguntar como estou.
Sabia que ali os carros passam devagar, por causa da ladeira e sabia que não poderia morrer. Então fiquei olhando pra ver se meu ônibus chegava. Fiquei bem na pista, mas claro, não deixei o corpo todo para fora, só uma bandinha...afinal prevenir é melhor que remediar.
Chame-me de extremista; eu não conseguir ser atropelada por um carro de luxo, mas em minha opinião o homem certo para mim pode está em qualquer lugar, até assim, no meio da rua.
Vantagens de ser atropelada por um carro de luxo ( sem risco de morte é claro ):
1-    O motorista do automóvel pode ser um homem muito rico e se apaixonar por você.
2-    Ao lhe oferecer ajuda, aceite: com certeza ele não te levará para o SUS. Caso seja só um arranhãozinho ele poderá te levar ao apartamento dele para fazer um curativo.
3-    Caso o acidente corra para vias judiciais você receberá uma boa indenização e não uma ajuda de R$ 500,00 pagas pelo dono daquele Chevette, Gol ou Voyage acabado.
4-    Todo carro tem a cara do dono.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

UM NOVO SEMESTRE, MAIS UMA CHANCE…

Quanto tempo heim? Como estava sentindo a falta desse espacinho aqui, me perdoem, mas minha vida estava simplesmente um caos. E quando refiro-me a caos, é porque na verdade a coisa estava muito ruim mesmo, pois não sou dessas de andar “cantando miséria” para atrair mais coisas desagraveis para minha vida. 
Bem, problemas pessoais parcialmente resolvidos, parei para fazer um balanço geral da minha vida. Mês de julho chegando, inicia-se um novo mês e um novo semestre: então constatei que a “coisa” não estava funcionando como deveria. É como se minha vida estivesse sendo guiada através do piloto automático. 
O dia dos namorados passou e eu não recebi nem um SMS, mas dia dos namorados é assim mesmo: amado ou odiado a depender do seu status no Facebook. Foi aí, com o coração apertado e uma pontinha de depressão que aproveitei para revisar minha listinha de objetivos para 2013 e vi que dentre as coisas que precisava concluir estava o de namorar bastante e nem de longe conseguir atingir esta meta, já que ainda não beijei este ano. 
Mas arranjar namorado onde ? Não tô pegando nem favelado, quem dirás milionário. E eu sei exatamente quais são as causas do problema, só não consigo me livrar.
 
Primeiramente devo a onda de “azar” a meu último relacionamento. O boy era maravilhoso e posso afirmar com toda convicção que durante exatamente TODA minha vida nunca encontrei um homem para me tratar e me amar como ele. Ao seu lado me sentia uma rainha. Ele fazia coisas que é difícil de se ver qualquer homem fazendo para uma mulher. Ele era um cavalheiro, sensível, carinhoso, educado e extremamente humano. Só tinha dois defeitos: era pobre e casado. Resultado: depois dele meu padrão de qualidade evoluiu muito, sei que será difícil encontrar um homem como ele, para me tratar como ele me tratava e ter atitudes semelhantes, aí me desanimo e não sinto vontade de me envolver com ninguém.
 
Segundo: eu não tenho amigos pra sair e trabalho 12 horas por dia. Se eu for contar o tempo de deslocamento passo 14 horas diárias fora de casa, somando as 2 horas que perco esperando o busu ou dentro dele. Então: nenhum namorado vai bater na minha porta me pedindo em namoro certo? Então como arranjar um namorado, alguém para eu amar, pisar e menosprezar ( como qualquer homem merece ser tratado ) ? Onde ?
 
Uma coisa boa que fiz foi me livrar das relações toxicas e afastar da minha vida pessoas que não valem a pena, que me fazem mal ou esgotam minhas energias. Talvez por isso hoje eu não tenha nenhuma amiga para sair.
 
Iniciei o ano fazendo um curso e trocando de emprego, mesmo assim não construir nenhum laço de amizade.
 
Em muitos casos não podemos escolher quem nos cerca; como por exemplo os vizinhos ou colegas de trabalho, mas por outro lado podemos selecionar melhor quem vamos cultivar uma amizade, nos relacionar na internet ou entregar nosso amor. E foi pensando assim que acabei me afastado de muita gente.
 
Ok. Devo está sendo chamada de miserável, arrogante, pedante, metida e deslumbrada. Não me importo, pois vou continuar sonhando, afinal planejar e sonhar são coisas que me mantem viva e cheia de esperanças…