terça-feira, 30 de julho de 2013

Na balada sozinha

Tenho novidades para contar! Como relatei em alguns posts anteriores eu já tracei as estratégias, agora chegou a hora de coloca-las em pratica.
Sexta-feira chegou e eu respirei fundo, rezei, tomei coragem e fui a balada sozinha. Me senti uma blog-repórter, queria registrar absolutamente TUDO para contar aqui para vocês. Sei que parece bobagem, mas pelo menos aqui na cidade onde moro é muito estranho ver uma mulher solteira, sozinha na noite. E cá entre nós: depois de certos verões fica cada dia pior ser solteira. Família julga, amigos julgam, vizinhos julgam...
Sempre fui muito independente para tudo em minha vida, mas de uns anos prá cá, fui perdendo a independência social. Nunca fui barrada por meus pais para não ir a uma festa ou balada com minhas amigas. Mas o tempo passou, as amigas casaram e eu aos poucos perdi as companhias. Até acho que em determinadas ocasiões da vida, a melhor companhia que a gente pode ter é a nossa própria, mas que é estranho chegar em uma balada só não podemos negar. Mas como não nasci grudada com ninguém e vou morrer só, não posso deixar o tempo passar e esperar envelhecer. Quantas pessoas ( inclusive eu ) ficam em casa aos finais de semana, morrendo de vontade de sair, mas não tem a coragem e ousadia? Então como contei decidi encarar o desafio!  
Nada de shows em arenas ou parques, queria algum lugar onde pudesse sentar e escutar uma boa música. Escolhi então uma casa de shows super badalada aqui da minha cidade.
Um lugar chique, caro e aconchegante. Traduzindo: ambiente de rico. Quando estava toda pronta esperando o taxi, caiu a maior chuva. Então pensei: não dá para ir para balada segurado sombrinha né ? E meu cabelo que estava escovado? E o make?  Foi aí que tive a ideia de levar um blazer, assim o colocaria na cabeça e me protegeria durante o trajeto na saída do taxi até a porta da balada. Puro engano! Lugar chique é outra coisa!
Ao saltar do taxi se aproximou um segurança com um guarda chuva enorme ( mas parecia um toldo ) e me acompanhou até a porta. Ual, pensei! Não me molhei nadinha, só vou ter que ficar agora segurando o blazer. Que saco!
Chegando a portaria dei meu RG e recebi um cartãozinho. Pensei : onde será que paga a entrada? Como não vi bilheteria imaginei: ummm deve ser na saída. Bingo, era isso mesmo.
Tudo que era consumido na balada era creditado no cartão que recebemos na entrada. Para sair a pessoa se dirigia ao caixa que ficava dentro da próprio local, efetuava o pagamento e este cartão já pago era apresentado na saída. Simples assim. Ok..você pode está rindo, mas eu não sabia como as coisas funcionavam. Eu também sei: já estou bem velhinha para está aprendendo só agora, mas não estou morta, antes tarde do que nunca. 
No inicio me senti um peixe fora d’agua, totalmente deslocada, mas acabei adorando a noite e depois de me arriscar pela primeira vez, me pergunto porque não fiz isso antes.Micos? Além do blazer para colocar na cabeça, sim, tiveram outros. Kkkk Mas essas histórias ficarão para um próximo post, agora deixo aqui algumas fotos da local. Desculpe a qualidade péssima das fotos, mas estas foram tiradas com o celular. 






sexta-feira, 26 de julho de 2013

Meu problema é sono !

Cês tão lembradas que, semana passada eu relatei como anda minha vida e expliquei o porque de está tão cansada? Para quem não lembra eu resumo: trabalho, trabalho e muito trabalho. Definitivamente já decidi não me matar tanto por dinheiro. Ok, ainda não posso parar de trabalhar e viver de renda, bem que eu gostaria, mas ainda não dá. Então fui traçando algumas estratégias:

Infelizmente existem pessoas que não conseguem se desligar do trabalho durante o horário de descanso. Eu sou uma delas! Meu emprego me exige uma carga horária de 12 horas por dia, com duas horas de almoço. Tenho o costume horrível de não tirar essas duas horas a qual tenho direito. Sempre gostei de “levar direto”. Hoje não mais.

Estou me policiando e tirando meu horário de descanso e até conseguindo dormir nesse intervalo. Para tentar minimizar os resultados da privação de boas noites de sono, estou tirando meu descanso e me alimentado melhor no café da manhã. Se, para cada noite mal dormida, a pessoa vai precisar de duas ou três noites de descanso para se recuperar, essas duas horinhas poderão fazer a diferença, já que não consigo dormir bem todas as noites. 

E a essa altura do campeonato, vocês já me conhecem bem, né? Já dá para perceber o quanto sou determinada. Cansei de tomar no café da manhã, café com bolacha e só. Chega: muita pobreza, além de não ser nada saudável.
O lema agora é: me alimentar melhor e descansar. E não é que estou muito mais disposta? Prontinha para ir a luta em busca do bom partido.
E é essa mensagem que deixo para vocês hoje: mude por dentro, veja o que está acabando com sua energia e corrija.
E para ilustrar o post de hoje algo bem criativo: meu café da manhã. 

sábado, 20 de julho de 2013

Mulher, pode sair sozinha?

Traçando minhas estratégias de como “fisgar” um bom partido cheguei a uma conclusão bem obvia: eu deveria está no lugar certo, na hora certa. O difícil para mim é saber exatamente onde chegar.
Como já comentei inúmeras vezes trabalho praticamente 12 horas por dia, utilizo transporte publico e quando chega os finais de semana, só desejo ficar a sós com meus pensamentos. Não tenho animo para balas, teatros, cineminha. Outro ponto gravíssimo é que praticante não tenho amigos e consequentemente me falta companhia para sair.
Ok, muitas vezes devido ao esgotamento físico e mental motivado pela carga horária puxada, eu só procuro paz e sossego. Mas tenho percebido que preciso fazer algo, pois o tempo está passando e eu praticamente só como, durmo e trabalho. Meus únicos momentos de laser são em família e as chances de se conhecer alguém em passeios familiares são as mesmas que acertar sozinha na Sena.
O problema sou eu. Admito: "Minha-culpa". Fazemos nosso destino e eu demorei para caí na real e perceber o quanto estava me isolando do resto do mundo e deixando boas oportunidades passarem. Mas ainda dá tempo! Precisava primeiramente levantar o astral. Parar de trabalhar eu não podia, mas viver para o trabalho também não.
Entrei em uma farmácia e comprei o remédio Targifor C, de acordo com o rótulo ele combate o esgotamento físico, justamente o que precisava. Já estou tomando-o a uma semana e tenho percebido uma leve melhora.
Essa semana ainda não foi a ideal, mas quem sabe na próxima eu colocaria meu plano em ação: sair sozinha. Sozinha? Como assim? Isso mesmo...Algum crime ?O que eu deveria fazer agora? Esquematizei alguns tópicos para esta ação, que faz parte do objetivo final: encontrar um bom partido e dá xeque mate. São elas:
  • Baladas não estão descartadas, mas estas não devem ser em shows em locais abertos muito grande. Shows só em casas de espetáculos, equipadas com cadeiras e mesas. Rico que vai para show que fica em pé, com banheiro químico, geralmente são adolescentes e adolescentes não estão lá interessados em casamento. Rico maduro bom partido, geralmente frequenta boate, bares de luxo com um showzinho ao vivo ou casas de espetáculos tipo a Skyline em São Paulo de propriedade da Cozete Gomes, ex Mulheres Ricas.
  • O ideal é sair e se divertir e não “caçar”. Seu foco será você. Quando começar a sair irá esquecer a solidão e não ficará deprimida.
  • Pizzaria, cinema, teatro porque não ?
  • Leia o jornal do final de semana e fique atenta a programação cultural da cidade. Existe inclusive muita coisa boa e gratuita.Não se preocupe: pobre vai para pagode e baile funk e não para teatro.
  • Não esqueça: lugares requintados exigem aparência requintada.
  • Não tem companhia ? Vá só, mas escolha “ a dedo” o local, evitando assim perda de tempo e dinheiro. Não tenha medo de passar a imagem de uma solitária jogada fora. O segredo é a confiança. 

domingo, 14 de julho de 2013

Como se Infiltrar na High Society

Não sei, mas esses dias tenho a nítida sensação que as coisas estão começando a mudar em minha vida. Um dos motivos de me fazer acreditar nisso é que tenho sido bastante elogiada no ramo profissional. Também percebo que tenho atraído muitos olhares masculinos, o que tem me deixado bastante metida. E quando fico metida é porque estou feliz. Mas até para ser feliz deve-se existir cautela.
Cautela porque? Infelizmente descobri que nesse mundo nós mulheres não podemos nos achar bonitas, não podemos dizer que somos inteligentes, ou escrevermos um blog e falarmos que não temos interesse em homem sem uma boa condição financeira, porque todo mundo vai nos chamar de esnobe. Mas, quem liga?
Uma das maiores qualidades dos vencedores é a capacidade de colecionar inimigos. Se um jogador de futebol faz um gol de placa e comemora demais, isso é feio, é desrespeito ao torcedor do time adversário. Essa é a realidade! Então não ligue e “se ache” , sem se importar com opinião alheia.
Como contei nos comentários do post anterior, eu ainda não tinha feito sexo ou beijado alguém este ano de 2013. Consegui beijar, mas o quesito sexo ainda está pendente. Não quero ir para cama com qualquer um, quem faz sexo por fazer são os animais irracionais. E eu sou racional!
Estou investindo o que posso e o que não posso para me infiltrar na high society e tenho certeza que me darei bem.
Comecei pelo trabalho, mudei de ramo de atuação e agora convivo profissionalmente com várias pessoas ricas ou consideradas classe média alta. Assim consigo observá-los, vendo seus modos de se vestir, portar, conheço seus gostos, bancos, cartões de crédito etc. Claro que isso não é muita coisa, mas é uma forma de observação e quem sabe não me esbarro no trabalho com “ELE”, meu BOM PARTIDO?
Foi desta forma que conheci um cantor de forró que se encantou por mim e me deu seus contatos ( celular e face ). Ele não é muito conhecido ( mas já foi ). Juro que não associei o nome artístico a pessoa. Depois que ele me falou que era cantor e como se chamava pensei: “já ouvi falar, mas não lembro”. Depois ele cantou uma de suas canções: um clássico, não tem ninguém que não conheça, essa música fez muito sucesso a uns 20 anos atrás e é cantada até os dias atuais. Bom: no mínimo ele deve receber direitos autorais até hoje.
Fucei o face do cantor todo, descobri que além de cantar, atualmente ele também é empresário, dono de um restaurante. Não o considerei milionário, mas acredito que tenha uma vida confortável e talvez possa ser um bom partido.
Pedido de amizade aceito, o bloqueei no bate papo por 3 dias, para causar “ansiedade”. Desbloqueei e já o vi online, não falei: para não passar a impressão de ter ficado a fim...mulher deve passar a imagem de indiferente. Ele também não falou! Dá próxima vou dá um oi e ver no que é que dá. Só precisarei ser cautelosa, conduzir com inteligência a conversa e não responde-lo assim que ele tc algo, mesmo que esteja conversando só com ele, nunca contar.
E é assim que devemos agir para nos infiltrar na High Society: com cautela, sem demostra deslumbramento e agindo como se tudo fosse comum e fizesse parte do nosso cotidiano.           

domingo, 7 de julho de 2013

Um Toque de Sofisticação

Conversando por e-mail com uma “parceira” de ideias, me surgiu a ideia sobre o título deste novo post: “Um toque de sofisticação”. Será mesmo possível e estritamente necessário transformar coisinhas simples e básicas e algo sofisticado ? Acredito que sim! Ao contrário do que muitos pensam dá sim para viver uma vida um pouco mais glamorosa com pequenos gestos e mudança de hábitos. Viver como os ricos não é uma tarefa simples, ainda mais para aquelas pessoas que como eu não nasceram em berço de outro.
Estou cansada de choramingar ou de ouvir outras mulheres incríveis fazerem o mesmo. Onde é que se escondem os bons partidos? De uma vez por todas garotas: eles não se escondem, nós que não estamos abrindo espaço para atraí-los.
Claro que a localidade de “caça” é extremamente importante, afinal ninguém sonhe que irá encontrar um médico cirurgião, culto e independente financeiramente em um baile funk na favela do Rio de Janeiro ou tomando um banho de sol no Piscinão de Ramos. Homens bom partido costumam frequentar lugares sofisticados, culturais, familiares ou baladas top.
Quando a mulher não é do mesmo nível social, poderá sentir algum tipo de dificuldade, mas nada impossível. Se você não tem o mesmo nível social, tenha o mesmo nível cultural. Mas antes de nos preocuparmos com o onde, melhor focar no como. 
Custei para aprender que em primeiro lugar deveria mudar por dentro: autoestima, autoconfiança, comportamento de rica para atrair um rico. Abrir espaço para esse lado de nossa verdadeira identidade ( a de mulher rica ) irá exigir algumas leituras, reflexões, mudanças e meditações. Bem, eu nunca disse que não daria trabalho. Mas estou disposta a enfrentar o desafio. Como já comentei estou trabalhando muito. Mas Deus ajuda a quem trabalha e por enquanto ainda preciso de meu salário.
Tive uma folga na semana passada e aproveitei o dia para relaxar e acordar ás 11:00 para recarregar a bateria. Estava sozinha em casa e não tinha nada pronto para almoçar. Poderia recorrer ao ovo frito ou ao macarrão instantâneo. Mas isso é comida de mulher rica ? Se quero aprender a ser rica devo comer e agir como tal. Tinha uma pilha de roupa para passar, escova do cabelo pra fazer e contas para pagar, mas me dei ao luxo de deixar tudo para o turno vespertino. Mulher rica não acorda ás 07:00 para ir para fila de banco, as contas que esperancem. Nem tão pouco iria “gastar” minha folga cozinhando. Dei então um toque de sofisticação ao meu dia: Vesti uma roupinha largadinha, calcei as Havaianas e comprei essa marmitinha aqui da foto abaixo.
Nossaaaaa, pode parecer bobagem, mas acordar as 11:00 horas e almoçar uma comidinha gostosa dessas, sem ter que preparar ou despertar com o cheiro da bendita cozinhando me fez muitíssimo bem.