sábado, 20 de julho de 2013

Mulher, pode sair sozinha?

Traçando minhas estratégias de como “fisgar” um bom partido cheguei a uma conclusão bem obvia: eu deveria está no lugar certo, na hora certa. O difícil para mim é saber exatamente onde chegar.
Como já comentei inúmeras vezes trabalho praticamente 12 horas por dia, utilizo transporte publico e quando chega os finais de semana, só desejo ficar a sós com meus pensamentos. Não tenho animo para balas, teatros, cineminha. Outro ponto gravíssimo é que praticante não tenho amigos e consequentemente me falta companhia para sair.
Ok, muitas vezes devido ao esgotamento físico e mental motivado pela carga horária puxada, eu só procuro paz e sossego. Mas tenho percebido que preciso fazer algo, pois o tempo está passando e eu praticamente só como, durmo e trabalho. Meus únicos momentos de laser são em família e as chances de se conhecer alguém em passeios familiares são as mesmas que acertar sozinha na Sena.
O problema sou eu. Admito: "Minha-culpa". Fazemos nosso destino e eu demorei para caí na real e perceber o quanto estava me isolando do resto do mundo e deixando boas oportunidades passarem. Mas ainda dá tempo! Precisava primeiramente levantar o astral. Parar de trabalhar eu não podia, mas viver para o trabalho também não.
Entrei em uma farmácia e comprei o remédio Targifor C, de acordo com o rótulo ele combate o esgotamento físico, justamente o que precisava. Já estou tomando-o a uma semana e tenho percebido uma leve melhora.
Essa semana ainda não foi a ideal, mas quem sabe na próxima eu colocaria meu plano em ação: sair sozinha. Sozinha? Como assim? Isso mesmo...Algum crime ?O que eu deveria fazer agora? Esquematizei alguns tópicos para esta ação, que faz parte do objetivo final: encontrar um bom partido e dá xeque mate. São elas:
  • Baladas não estão descartadas, mas estas não devem ser em shows em locais abertos muito grande. Shows só em casas de espetáculos, equipadas com cadeiras e mesas. Rico que vai para show que fica em pé, com banheiro químico, geralmente são adolescentes e adolescentes não estão lá interessados em casamento. Rico maduro bom partido, geralmente frequenta boate, bares de luxo com um showzinho ao vivo ou casas de espetáculos tipo a Skyline em São Paulo de propriedade da Cozete Gomes, ex Mulheres Ricas.
  • O ideal é sair e se divertir e não “caçar”. Seu foco será você. Quando começar a sair irá esquecer a solidão e não ficará deprimida.
  • Pizzaria, cinema, teatro porque não ?
  • Leia o jornal do final de semana e fique atenta a programação cultural da cidade. Existe inclusive muita coisa boa e gratuita.Não se preocupe: pobre vai para pagode e baile funk e não para teatro.
  • Não esqueça: lugares requintados exigem aparência requintada.
  • Não tem companhia ? Vá só, mas escolha “ a dedo” o local, evitando assim perda de tempo e dinheiro. Não tenha medo de passar a imagem de uma solitária jogada fora. O segredo é a confiança. 

19 comentários:

  1. Acho assim, se arranjar um homem de boa situação financeira é tudo para sua vida, porque você não procura um profissional que te ajude nisso. Tem pessoas especializadas, do tipo personal, em traçar perfis, e até a promover encontros nesse sentido. Acho que talvez assim você gastasse sua energia da forma certa.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Oii descobri seu blog no um ano sem zara. Me surpreende sua visao declarada de pegar homens ricos, mesmo que nao concordo acho massa declarar sem medo ter um opiniao assim.

    Sobre teu post de hoje eu tb me isolei do mundo, mas no meu caso foi através de um relacionamento de 5 anos e meio. Descobri que o cara levava uma vida de solteiro enquanto tava comigo, meio compulsivo sexual sei la, mas enfim, de vez de enfrentar a minha pesquena dificuldade de estar sozinha fiquei mto tempo com alguem que eu sentia que me traia mas nao tinha provas.

    Tem q enfrentar aquele sentimento de "ah que preguiça" né? Não se fechar tanto pras pessoas e qnd nao tiver ninguem fazer algo por si, como tu falou até saindo sozinha, pq não ué?

    Tudo de bom pra vc!
    Beijoos

    ResponderExcluir
  3. Oli,

    Você tem toda razão. Também estou isolada do mundo, mesmo contra minha vontade, pois acredito que quem se isola de todos,acaba sentindo um enorme vazio e a vida será uma mesmice todos os dias.
    Descobri que não preciso me sentir sozinha, pois tenho a mim mesma. O sentimento de solidão vem de dentro, por isso vou acabar com ele de uma vez por todas!
    Sorrir, tentar ser mais simpática com as pessoas, sair só e me divertir são pequenas atitudes que estou tentando colocar em minha rotina.

    Muito obrigada pela visita
    Beijos
    Zaz

    ResponderExcluir
  4. Adoro seu blog e achei legal mesmo o que você escreveu!!! também tenho meus sonhos e estou aki como principiante, mas adorando ter um espaço meu nos comentários. Acho que conhecer gente interessante faz bem em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Zazzle!

    Assim como uma leitora acima, acabei de descobrir seu blog também pelo umanosemzara. Me identifiquei bastante com alguns posts e gostaria de parabenizar sua iniciativa em compartilhar seus interesses e sonhos infelizmente ainda polêmicos para a sociedade em que vivemos. Talvez nossa origem judaico-cristã e escravocrata tenha criado essa ilusão de que ter mais dinheiro do que outros ou desejar crescer é algo feio, vergonhoso. Ainda não admitimos que crescimento profissional é necessário e saudável, inclusive para quem escolhermos estar ao nosso lado! Mas acreditamos no "jeitinho", nas conquistas fáceis e sem esforço. A terra daqueles que não desistem nunca também é a terra dos que vêem a vida apenas pelo lado do explorador ou do explorado. Também acho que podemos "glamourizar" o nosso dia a dia. Delicadeza, sofisticação e elegância faz tudo ficar mais leve. De uns tempos pra cá vejo as mulheres se vulgarizando ou se deixando ser exploradas pela suposta "falta de homem". Pessoas especiais sempre serão raras, mas não podemos usar isso contra nós mesmas! Sou muito favorável a sairmos sozinhas, mesmo quando estamos namorando! Como você mesma disse, vamos perdendo a independência ao longo do tempo... Geralmente vou a lugares que sei terei contato social facilmente com pessoas desconhecidas, como lugares de dança de salão, por exemplo, ou lugares interessantes que possa ficar sentada, como foi o seu caso, em que você não precisa ficar se explicando porque veio sozinha. No aguardo das próximas experiências, deixo um beijo para você e miiiil desculpas pelo tamanho desse comentário que está mais para e-mail! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michelly;

      Adorei seu comentário! Desde quando comecei a escrever este blog já recebi algumas poucas criticas. Mas sabe de uma? Nem ligo! Por isso bloqueei o recebimento de comentários de leitores anônimos, acho que se fossem permitidos seriam milhões de pessoas desocupadas tentando me dá lição de moral. Prefiro receber menos comentários, mas que receba comentários de qualidade, assim como o seu.
      Continuo na luta! E vou querer te ver por aqui mais vezes.

      Beijocas

      Zaz

      Excluir
  6. Olá, Zaz!

    Fiquei muito feliz que você tenha gostado! Comentei porque concordo bastante com seus posts! Não se preocupe, você não é a única nessa luta! rs As pessoas SEMPRE vão criticar porque não conseguem assumir seus reais interesses e desejos nem para si mesmas e invejam quem compartilha a verdade como você. Fazer boas escolhas é um exercício diário, cansativo e nem todo mundo está disposto a isso. E o principal, elas não entendem que não nascemos pensando assim, que foram as próprias experiências, frustrações e dores que fizeram a gente olhar mais para nós e repensar o custo real das nossas escolhas. Pelo que eu li você deixa claro o questionamento em relação às suas próprias regras e o quanto é difícil lidar com caras muito carinhosos e dedicados, mas que simplesmente não podem (ou não querem)dar a infraestrutura de vida que toda mulher merece. Além das dificuldades do cotidiano, acho que ainda tem a distância cultural, que não necessariamente é acadêmica, da educação formal. Já conheci caras simples com uma vivência imensa, mas convenhamos, a gente precisa de alguém que nos impulsione, nos ensine coisas novas, leve para lugares interessantes, cresça com a gente. Não tenho mais vergonha de querer ser cuidada e amada por alguém tão bom ou melhor do que eu. Essa suposta "independência" que muitas amigas minhas ainda pregam de que pagam a conta, levam para casa, fazem o que tem que fazer e acabou, para mim é uma percepção muito rasa do que pode se aproveitar de um encontro, mesmo fortuito. A gente pode fazer tudo isso, curtir o cara, uma vez, algumas, conhecer as pessoas sem compromisso, sair sozinha, se divertir só para nós e nem por isso temos que pagar esse "imposto" por ser mulher independente. Não preciso ter prejuízo por ser livre, nem moral nem financeiro. Ele vai me levar para passear e pagar a conta não porque estou me vendendo, mas porque mereço. Aprendi a investir meu dinheiro em mim e quero receber presentes, independente se meu salário é maior ou menor do que meu companheiro. O que está em jogo é ser agradada e não porque preciso disso para viver. É como sempre digo, se eu tivesse investido em ações toda a grana que coloquei nesses caras (afinal eu sempre achava que ia passar toda a vida com eles) eu estava ryca!!! rsrs Desculpa mais uma vez, meus comentários estão parecendo posts! rs Esse assunto é super importante para mim, se você deixar, não acabo mais... rsrs Um beijo e vai ser uma prazer te acompanhar nessa "jornada".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Michelly

      Vc pensa exatamente como eu. Fiquei tão feliz com isso, verdade! Quanto aos seus comentários...escreva mais, não se acanhe kkk Está me ajudando e tenho certeza que ajudará muitas leitoras também. Estou com uma média de 300 visitas por dia e não recebo nem 0,1% de comentários, isso significa que tem muita mulher concordando e com medo de se expor. O blog irá crescer e meu objetivo posteriormente será o de escrever um livro. Não custa nada sonhar !

      Excluir
    2. Voce é muito legal :) adoro seus comentarios

      Excluir
  7. Oi, Zaz!

    Somos companheiras de luta, então! rsrs

    Um livro brasileiro sobre o tema seria ótimo! Aprendi somente com outras pessoas, mulheres e homens... Não é fácil assumir porque além do estereótipo de "usurpadora", o qual você já comentou, tem que ser mulherão, sustentar o que merece, certo? Não dá para descer do salto, dar bandeira ou um gritinho toda vez que o cara paga a conta ou chega de carro. Se a gente quer frequentar lugares interessantes, tem que agir natural, como se fosse um hábito, inclusive o de ser bem tratada. Como te falei, adoro sair sozinha para dançar em casal, mas nunca chamo para dançar. Não sou contra quem faz, acho admirável... Maaass, eles precisam me desejar, não???? Não vou tirar essa chance deles... rsrs Conte comigo na luta, companheira! E se quiser ajuda no livro, só falar!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Michelly!

      E que bacana, fiz amizade ( mesmo que virtual ) com alguém que pensa exatamente como eu. Que bom! Semelhante atrai semelhante ! Vou deixar um comentário maior no post mais atual.

      Beijocas

      Excluir
  8. Olá, Zaz!

    Também me sinto assim, que bom! rsrs

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Parabéns pelo blog! Amei e estou me identificando muito com seus posts! rsrs

    ResponderExcluir
  10. Nossa!! Vc pensa como eu, mas ainda estou nessa indecisão de sair sozinha ou não. Faltando coragem...rsrsrsrss

    ResponderExcluir
  11. É realmente difícil sair sozinha a primeira a segunda e tves a terceira, mas garanto que depois disso vc saberá aproveitar mais sua companhia e com certeza fazer muito mais amizade que se estivesse acompanhada. Me separei, tenho poucas amigas e as poucas casadas, enroladas então tive que partir pra cima, Ficar em casa com a vida parada é que não dá. Sou independente, tenho meu salário, meu carro e pq não sair sozinha? Minhas amigas morrem de inveja por não ter a mesma vida que eu. Vamos lá meninas...coragem

    ResponderExcluir
  12. Daqui a pouco vou pra balada sozinho. Já fiz isso inúmeras vezes: algumas solitárias, mas a maioria foi divertida, conheci várias pessoas legais, arrumei namorado... Amigos casados, namorando, ficar em casa é deprê, o jeito é sair e se abrir para as pessoas! Gostei da dica: confiança! Afinal, quantas vezes já saímos com alguém e nos sentimos sozinhos?

    Beijão!

    ResponderExcluir
  13. Eu cheguei num momento da minha vida que comecei a pensar: - nossa, a vida esta passando, todas as minhas amigas casaram, tem filhos, etc etc, e eu doida, mas doida mesmo pra viver intensamente hehe mas e companhia que é bom mesmo, nada!
    Quando tem alguem pra sair comigo, essa pessoa nao gosta dos mesmos lugares que eu (nao vou pra lugar ruim nem que me paguem kkkk, so gosto de lugar em que vou encontrar pessoas cultas e educadas), tambem outro problema porque as pessoas nao querem pagar o mesmo que eu pra sair, dai fico sem ir de novo porque bate aquela vergonha de chegar num lugar sozinha e todo mundo ficar me olhando.
    Mas eu resolvi tentar, e vai ter que ser assim! Pois se eu nao for vou ficar em casa de novo e la se vai mais um fim de semana e a vida passando, passando, passando...ai que horror ne?

    ResponderExcluir