domingo, 4 de agosto de 2013

Na balada sozinha - PARTE 2

Vou confessar: já estou quase convencida de que sou diferente mesmo, para não dizer até meio desequilibrada. Tô nem aí para o que pensam ou falam a meu respeito e não peço ou espero que ninguém me entenda. Nem poderia, vivemos em uma sociedade hipócrita, onde as pessoas pensam, sentem, mas tem medo de falar. Eu não!
Depois do post anterior, onde me diverti muito na balada: SOZINHA e ao mesmo tempo em ótima companhia : a minha; recebi uma enxurrada de comentários no blog, e-mails e mensagens via Facebook de pessoas me perguntando como foi o final da noite, se encontrei algum homem rico blá, blá blá...Então, para matar a curiosidade de todos vou fazer um balanço da minha saída e relatar alguns novos rumos que minha vida anda levando. Comentem: quero opiniões.
Em primeiríssimo lugar vou logo responder a curiosidade da maioria, para quem só estiver interessado nisso nem se dá ao trabalho de ler o post completo: não conheci nenhum homem rico, ou melhor: não conheci homem algum! Meu objetivo principal na noite foi o de me divertir. Acho que já passei tempo demais só trabalhando e chegando em casa para comer, dormir e fazer faxina. Quem trabalha praticamente 12 horas por dia não merece usar suas folgas apenas para organizar a casa e fazer mercado. Hora de mudar o contexto e o cenário. Aquela noite foi simplesmente perfeita, uma das melhores aventuras da minha vida.
Assim que entrei na balada, fui conhecer o ambiente. Corri a casa toda, lugar bacana,  três andares, ótimos espaços, clima agradável. Sou da opinião que cada pessoa deve procurar algo a que a faça sentir-se bem. Não importa o que. Eu me sinto bem em lugares sofisticados, frequentados por pessoas de dinheiro, mesmo que eu ainda não tenho chegado lá.
Depois que conheci todo o local, incluindo o toalete, resolvi me sentar em um dos ambientes. Sem perceber sentei ao lado de uma moça que também estava sozinha e ela veio me perguntar: “Oi, você é amiga da Luisa?” Respondi: não! Conversamos um pouco e descobri que ela era convidada da tal Luisa, que fazia aniversário naquela noite e comemoraria com os amigos ali. Achei tão feio a convidada chegar primeiro que a aniversariante!
Durante a conversa aproveitei para observar os trajes da moça: vestido, sapato, bolsa e compara-lo ao meu, notei que minha única não conformidade foi a bolsa, que realmente estava bem cafona para o local, o que me salvou foi o blaser, que joguei por cima dela e ninguém viu a feiura. Devido ao fato em questão nem senti tanta raiva de ficar a noite toda segurando o “bichinho” kkkkk Conversamos um pouco, até que inevitavelmente a pergunta que não queria calar: “mas você está sozinha?” Não soube como reagir, não sei porque mas senti vergonha naquele momento em responder o obvio: um tórrido sim! Foi aí saltei a pérola: “também estou esperando uma amiga, ela mora longe”. Depois de um tempo a aniversariante, mas um grupo de amigos chegaram com ela, a moça se despediu de mim, mas antes perguntou: “se quiser pode ficar com agente”. Agradeci mas não aceitei. Sei lá, acho que se não fosse comemoração de aniversário eu até aceitasse, mas assim: me infiltrar em festa aleia, não!
Naquele momento só queria curtir bastante a noite, dançar e ouvi uma boa música. Nesse momento aconteceu algo engraçado: passa por mim um “armário”, um homem LINDOOO, forte, calça e camiseta colada, jaqueta preta, lupa; pensei: “o que é isso, Gogo boy, posso utilizar de seus serviços?”kkkk O observei com cuidado e percebi que ele usava um cinto com duas garrafas penduradas na cintura: “ahhh, tequileiro”.
Me deu sede, não bebo nem socialmente, não suporto cerveja. Aí pedi a única bebida que gosto do sabor: Smirnoff Ice. Pensei: “Se no supermercado uma garrafinha custa R$ 3,50; aqui devo pagar uns R$ 8,00. Estava enganada: R$ 11,90. Ainda bem que foi só uma. Sem o costume de beber já fiquei tontinha, tontinha com uma, vou lá arriscar mais ?
Enfim: a experiência foi maravilhosa e vou repetir mais vezes. Pode parecer bobagem, mas me senti poderosa, uma verdadeira guerreira. Não sabia que eu era tão forte. Eu posso sair sem “muletas”, posso fazer minha noite e me divertir sozinha, eu simplesmente POSSO!
Ahh gente: nada haver com o post, nada haver com a balada, mas tenho novidades: fiz sexo oral em alguém na sexta-feira. Quem? Como? Onde? Conto no próximo post. É só para perceberem o que a sensação de poder pode atrair para vida de alguém. A mudança na vida vem de dentro mesmo. Acredite! 

14 comentários:

  1. Parabéns, Zaz!!!

    Sair sozinha é exercício de segurança e autoestima, não é?

    Deu pra se divertir mesmo saindo no 0 a 0! Adorei você não ter se unido ao grupo só porque está sozinha! Você não está só na balada por falta de opção, mas por escolha! Claro que se conhecermos alguém, seja por companhia ou pra ficar, legal, mas não precisamos ser salvas! hehe Talvez para esses podemos contar que estamos sozinhas, mas você não precisa falar para todos que perguntam... Eu sempre mando "meus amigos estão por aí..." hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michelly;

      Estou adorando seus comentários, sempre que quiser compartilhar suas experiências, fique à vontade; vou precisar mesmo de um "empurrãozinho" quando for publicar meu livro, já estou rabiscando e seus comentários tem ajudado. Bem, claro que tenho consciência de que quando resolvemos fazer algo por nós, pode dar certo ou não, pode não atender as nossas expectativas ou pode superá-las. O importante é tentar. E é exatamente isso que estou fazendo: tentando. E sim, deu para me divertir mesmo saindo no 0 a 0! Afinal; nós mulheres não precisamos de homem para nos divertir, pois sair sozinha(o) pode ser prazeroso, sim!

      Beijocas

      Zaz

      Excluir
  2. Zaz, Simplesmente penso que você é meio doidinha. Acho deprimente sair sozinha!!! Já para os homens tudo é mais simples e fácil. Ir no cinema , no shopping até vou , mas de resto eu sempre estou com amigas que me acompanham.
    E senhora Michelly, você também sai sozinha?

    ResponderExcluir
  3. Olá, DN!

    Sim, saio sozinha! Talvez você ache deprimente sair sozinha porque imagina que estamos procurando aquilo que possui ao sair com suas amigas. Saio sozinha não para procurar companhia, pois nesses momentos eu sou minha melhor companhia. É difícil eu dispensar uma saída com amigas ou caras para sair sozinha, mas quando eu quero fazer algo só comigo mesma ou não encontro companhia, faço sozinha com muito prazer. Tenho namorado e nem por isso me privo desses meus momentos particulares. Inclusive pretendo viajar sozinha. A gente às vezes precisa de uma independência e um espaço de fruição tão particular que não cabe mais ninguém. É mais que uma opção para a solidão, como comentei acima, é um exercício de segurança e autoestima. Cinema, exemplo que você citou, já deixei de fazer sozinha, pois é fácil encontra companhia e não sinto tanta vontade de curtir só. Mas outras coisas sim, por que não? Claro que para os homens é mais fácil, principalmente por sofrerem menos preconceito por isso, não é? Além daquela imagem de ser menos perigoso. De qualquer forma, estou disposta a enfrentar essas diferenças e curtir esse prazer tanto quanto eles.

    Como a Zaz comentou, é isso aí, pode dar certo, dar errado, valer ou não o investimento, mas vale a tentativa nem que seja só pelo exercício!!! Zaz, força pro livro e pra luta, companheira! rsrs Pode contar! Fico feliz em ajudar! Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com a resposta da Michelly!

      Claro que para os homens é mais fácil. E para muita gente uma mulher sozinha na noite ou é garota de programa ou é uma solitária. Mas GRAÇAS A DEUS essa não é a opinião de todos, muita gente acha até natural. Eu mesma prefiro ir sozinha que me privar de um programa legal só porque não tenho companhia. Não tenho namorado e nenhum amigo para me acompanhar. Vou ficar em casa? Ir a balada sozinha é uma estratégia para conhecer pessoas novas ou novos amores. E porque não? Ou como falou a Michelly, as vezes não queremos nem conhecer ninguém, mas esparecer a mente e sair da rotina. Porque devemos nos privar de determinados prazeres?

      Sinto muito DM, mas discordo totalmente do seu ponto de vista. Liberte-se e entregue-se a liberdade e ao poder que existe em suas mãos.

      Beijocas

      Zaz

      Excluir
    2. ISSO AÍ ZAZ!!!!

      Acho que mulher deve sair sozinha namorando ou não, às vezes tu quer aproveitar com os amigos e pode ser que eles não estão no clima e fica pior ainda! Melhor seria não ter ido ou só ficaria melhor. Que bom que tu se divertiu sozinha ótimo exercício para se tornar uma mulher poderosa!

      Excluir
  4. Sair sozinha é uma tarefa que requer muita disposição e coragem. Não vejo nada de errado, só não tenho coragem. Não existe crime algum em escolher ficar sozinha, por opção. Não sei se conseguiria sobreviver sozinha em uma balada, é sempre mais divertido fazer em dupla ou grupo. Mas admiro quem consegue.

    ResponderExcluir
  5. Estava observando um Blog meu do qual nao utilizo a um tempo, e vi um comentario seu, sempre q possivel estarei passando aqui para dar uma lida, pq só por esse post já adorei!
    bjinhus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Barbara!

      Seja sempre muito bem vinda :) Me recordo do seu blog...E fico feliz em saber que gostou do meu blog e da postagem. Apareça mais vezes pois tenho certeza que tem muito a contribuir.

      Agradeço a visita

      Beijocas

      Zaz

      Excluir
  6. Nossa Zaz, estou para morrer aqui…. Que maravilhoso esse seu exemplo. Adoreiii…. Sempre ótimas dicas! Eu farei o mesmo, mas não tenho muitas roupas para baladas. E sozinha e em baladas diferentes ninguém irá reparar que repeti o look. Eu também preciso de uma bolsa legal para essas ocasiões, alguém sabe o nome daquela bolsa carteira de mão?

    bjus e mais sucesso!!!

    ResponderExcluir
  7. Cada postagem que leio sua acho mais legal, se realmente quer escrever um livro já está no caminho certo.
    Muitas das coisas que você posta é o que muitas mulheres sentem ou querem fazer e não tem coragem, e acho legal você compartilhar suas experiências, porque acaba motivando outras pessoas a fazerem, eu falo estou numa completa mudança em minha vida, duas únicas experiências de namoro e não deram certo não por conta de ser pobres, até porque tinham uma condição rasurável, mais porque parece que quanto mais desejamos um cara legal e que tenha uma condição mais cafajestes aparece.
    No começo foi difícil de me acostumar sozinha, mais com o passar dos dias você tem que aprender a gostar da sua própria companhia, até porque nascemos só e morremos só.
    A única coisa que ainda não consegui fazer é ir na balada sozinha. Mais já estou planejando minha primeira viajem sozinha, é uma mochileira de primeira viajem, já vi o lugar agora só estou montando meu roteiro.

    ResponderExcluir
  8. ainda vou criar coragem de fazer isso.. já venho ensaiando a tempos esse negócio de sair sozinha

    ResponderExcluir
  9. Parabéns você fez o que muitas tem vontade de fazer e não faz porque não tem coragem o tem medo, e estou incluida. Nunca tive muitas companhias e sempre sofri com isso, mas antes saia para praias teatro coisas do tipo sozinha. Hoje em dia não saiu nem de casa, é a pior coisa me sinto solitária e como precisasse do outro, minha auto estima foi minada e agora estou tentando reconstruir ela. Mas hoje me encontro com depressão e blogs como o seu me faz relembrar o quanto essa sensação é boa e acaba sendo um incentivo.

    ResponderExcluir